Macau alerta contra o uso de moedas virtuais após burla de 2,2 milhões de euros

Macau alerta contra o uso de moedas virtuais após burla de 2,2 milhões de euros

As autoridades de Macau alertaram contra o uso das moedas virtuais, ilegais no território, depois de um alegado caso de fraude no valor de 2,2 milhões de euros noticiado pelos órgãos de comunicação locais.

“A Autoridade Monetária de Macau (AMCM) alerta, de novo, que a moeda virtual (…) não é uma moeda legal nem um instrumento financeiro, pelo que os residentes em geral devem ter cuidado com eventuais fraudes que essa moeda virtual possa envolver”, referiu aquela entidade, num comunicado divulgado na segunda-feira.

De acordo com os jornais locais, cerca de 70 pessoas no território foram alegadamente lesadas ao comprarem este tipo de moedas. A conselheira das comunidades portuguesas Rita Santos terá sido uma das burladas.

O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária de Macau e Hong Kong.

Na mesma nota, o AMCM lembrou que já tinha notificado no passado todos os bancos e instituições de pagamentos locais para que não se envolvessem neste tido de serviços financeiros, já que isso “pode constituir uma eventual violação das disposições do Regime Jurídico do Sistema Financeiro”.

 

 


RELACIONADOS

Macau alerta contra o uso de moedas virtuais após burla de 2,2 milhões de euros

As autoridades de Macau alertaram contra o uso das moedas virtuais, ilegais no território, depois de um alegado caso de fraude no valor de 2,2 milhões de euros noticiado pelos órgãos de comunicação locais.