Julian Assange exposto a risco de “violações dos direitos fundamentais”

O Equador expôs o co-fundador do portal WikiLeaks, detido no interior da embaixada em Londres, a “um risco real de graves violações dos direitos fundamentais”, afirmou uma relatora da ONU.

Julian Assange exposto a risco de

Julian Assange exposto a risco de “violações dos direitos fundamentais”

O Equador expôs o co-fundador do portal WikiLeaks, detido no interior da embaixada em Londres, a “um risco real de graves violações dos direitos fundamentais”, afirmou uma relatora da ONU.

Genebra, 11 abr 2019 (Lusa) — O Equador expôs o co-fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, hoje detido no interior da embaixada equatoriana em Londres, a “um risco real de graves violações dos direitos fundamentais”, afirmou uma relatora da ONU, Agnès Callamard.

A relatora especial da ONU sobre execuções extrajudiciais, sumárias ou arbitrárias reagia desta forma, em declarações à agência noticiosa France Presse (AFP), momentos depois do jornalista australiano ter sido detido no interior da embaixada do Equador em Londres pela polícia britânica.

O relator especial da ONU para o direito ao respeito pela vida privada, Joe Cannataci, que tinha agendado um encontro com Julian Assange no próximo dia 25 de abril na embaixada equatoriana, afirmou, por sua vez, que não tenciona cancelar o encontro e que continua a planear ver o jornalista australiano.

“Planeio visitá-lo e falar com ele numa esquadra de polícia ou em outro qualquer lugar no Reino Unido onde ele possa estar detido”, disse Joe Cannataci.

Outra das reações à detenção de Assange surgiu por parte de Edward Snowden, o ex-analista informático da Agência Nacional de Segurança (NSA, na sigla em inglês) norte-americana que está exilado na Rússia desde que divulgou, em 2013, um esquema de vigilância e de espionagem em massa desenvolvido pelos serviços de informações dos Estados Unidos.

“Os críticos de Assange podem estar felizes, mas este é um dia negro para a liberdade de imprensa”, escreveu Snowden na rede social Twitter.

“As imagens do embaixador do Equador a convidar a polícia secreta do Reino Unido para a embaixada para arrastar para fora do edifício um jornalista premiado irão acabar nos livros de História”, acrescentou Edward Snowden, numa crítica direta às autoridades equatorianas.

O antigo analista da NSA recordou ainda que, em 2016, o Grupo de Trabalho das Nações Unidas sobre Detenções Arbitrárias concluiu que Assange estava numa “situação de detenção arbitrária”.

Snowden lembrou ainda que peritos independentes da ONU instaram, em diversas ocasiões, o Reino Unido a honrar as suas obrigações internacionais e a deixar Assange sair livremente da embaixada equatoriana.

Julian Assange foi hoje detido pela polícia britânica no interior da embaixada do Equador em Londres, onde se encontrava há sete anos.

A polícia britânica indicou que executou um mandado de detenção emitido em 2012 por um tribunal londrino, após o Equador ter retirado o direito de asilo ao australiano de 47 anos, e informou depois que tinha também detido Assange “em nome das autoridades dos Estados Unidos”, ou seja, em cumprimento de um mandado de extradição deste país.

Assange refugiou-se na embaixada equatoriana na capital britânica em 2012 para evitar a sua extradição para a Suécia, que solicitou que o co-fundador do Wikileaks se entregasse por supostos crimes sexuais, um processo que, entretanto, prescreveu, mas que poderá ser reaberto.

O jornalista recusou entregar-se às autoridades britânicas por receio de ser extraditado para os Estados Unidos, onde poderia enfrentar acusações de espionagem puníveis com prisão perpétua.

Em 2010, o WikiLeaks divulgou mais de 90.000 documentos confidenciais relacionados com ações militares dos Estados Unidos no Afeganistão e cerca de 400.000 documentos secretos sobre a guerra no Iraque.

Naquele mesmo ano foram tornados públicos cerca de 250.000 telegramas diplomáticos do Departamento de Estado dos Estados Unidos, que embaraçou Washington.

SCA (BM) // ANP

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS