Julen: Pai de menino que caiu no poço com medo de deixar a mulher sozinha

O pai de Julen, o menino de dois anos que caiu num poço em Málaga, a 13 de janeiro, deu uma entrevista onde fala sobre o luto, os dias depois da tragédia e as investigações das autoridades.

Num momento em que avançam as investigações das autoridades para atribuir responsabilidades pela morte de Julen, o menino de dois anos que caiu num poço em Málaga, a 13 de janeiro, José Roselló, pai da criança, dá uma entrevista ao jornal espanhol Semana.

Dois meses depois da tragédia que durante treze dias parou Espanha, o pai de Julen afirma que está em processo de luto: «Só consigo desconectar-me quando jogo futebol com os meus amigos, uma vez por semana. É a minha única droga. Não temos descansado. Não desejo a ninguém o que eu e a Vitória (mulher e mãe de Julen) passámos».

José Roselló diz que tem sido complicado para a mulher lidar com a perda do segundo filho. «A Vitória está desolada. Ela não quer tomar os comprimidos receitados pelo psiquiatra. Em nenhum momento está sozinha. Não posso deixá-la.»

O pai de Julen só pede, neste momento, justiça. «Só quero que a juíza pronuncie para terminar com todas as especulações», afirma. As investigações para apurar responsabilidades estão a decorrer. A juíza do processo considera haver indícios de que os caso se trate de um homicídio por negligência por parte do proprietário da quinta onde o menino caiu num poço. O homem foi chamado a tribunal e, segundo o El Mundo, terá dito que advertiu os pais da criança para os perigos da existência de um poço na propriedade. .

O proprietário afirma que colocou, como medida de segurança, dois blocos de cimento para tapar o poço. No entanto, no momento da tragédia estes terão sido deslocados. O pai de Julen reconheceu que sabia da existência de poços na quinta, mas achava que estavam tapados. Por sua vez, a mãe de Julen afirmou que não sabia que havia um poço descoberto na propriedade.

Pai de Julen sobre as visitar de políticos para acompanhar o caso: «Alguns só vinham para a foto»

O pai de Julen critica as visitas de alguns representantes políticos a Málaga para mostrar o seu apoio durante a tragédia. «Alguns vinham apenas para a foto.» José Roselló afirma ainda que, durante as operações de resgate, lhe ocultaram informação. «Disseram-nos que a máquina se tinha avariado e nós acreditámos. No entanto, uns amigos da Proteção Civil disseram-nos que um tubo da máquina, a câmara e uma lanterna tinham caído no poço e que não podiam recuperar», conta.

José Roselló afirma que só que se faça justiça: «Quero que investiguem absolutamente tudo. Não estou a favor nem contra o David (proprietário do terreno, onde caiu Julen). São parte da minha família, mas se fizeram algo de mal é para isso que existe a justiça, para julgá-los».

Os pais de Julen, José e Vitória, estiveram sempre unidos durante todo o processo de resgate e agora no momento de luto. O casal já tinha perdido um filho, Oliver, vítima de ataque cardíaco, em 2017. O menino cumpriria cinco anos esta semana.

A poucos dias de se celebrar o Dia do Pai, José Roselló recorda os seus dois filhos: «Tenho a certeza que os meus dois anjos estão orgulhosos de nós e tenho a consciência tranquila».

LEIA MAIS
Corpo de mulher encontrado no rio Douro
Previsão do tempo para quinta-feira, 14 de março

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Julen: Pai de menino que caiu no poço com medo de deixar a mulher sozinha

O pai de Julen, o menino de dois anos que caiu num poço em Málaga, a 13 de janeiro, deu uma entrevista onde fala sobre o luto, os dias depois da tragédia e as investigações das autoridades.