Tribunal trava morte de Vincent Lambert, a momentos de máquinas serem desligadas

A Justiça francesa decidiu aguardar por um parecer do Comité dos Direitos das Pessoas Deficientes das Nações Unidas sobre a morte de Vincent Lambert

Tribunal trava morte de Vincent Lambert, a momentos de máquinas serem desligadas

A Justiça francesa decidiu aguardar por um parecer do Comité dos Direitos das Pessoas Deficientes das Nações Unidas sobre a morte de Vincent Lambert

Vincent Lambert está em estado vegetativo há uma década. Sofreu um acidente em 2008 e tornou-se um símbolo do debate sobre a eutanásia em França. Esta segunda-feira, dia 20 de maio, o tribunal francês ordenou que fosse retomado o suporte básico que mantém Vincent vivo, quando já lhe tinha sido retirada a alimentação e hidratação artificial.

A Justiça travou assim a morte de Vincent, após o Tribunal da Relação de Paris ter dado razão a um recurso urgente que foi interposto pela família do paciente de 42 anos. Os pais e a irmã, ordenaram que Vincent fosse mantido vivo até o caso ser apreciado pelo Comité dos Direitos das Pessoas Deficientes das Nações Unidas.

Vincent Lambert ficou tetraplégico na sequência de um acidente rodoviário

Vincent Lambert, um enfermeiro de 42 anos, ficou tetraplégico em 2008 na sequência de um acidente rodoviário, tendo-se tornado um símbolo do debate sobre a eutanásia em França. A própria família está dividida: pais e uma irmã querem manter Lambert vivo artificialmente, enquanto a sua mulher, cinco irmãos e um sobrinho concordam que as máquinas devem ser desligadas.

Em 2011, os médicos que seguem o caso descartaram por completo qualquer possibilidade de melhorias no estado de Vincent Lambert e em 2014 o seu estado passou a ser classificado como vegetativo.

 

LEIA MAIS

Previsão do tempo para quinta-feira, 23 de maio

Herda mansão após teste de ADN provar que é filho de milionário

Impala Instagram


RELACIONADOS