Infarmed apanha farmácias a vender testes ilegais à covid-19

Apesar de estarem proibidas de vender testes rápidos de covid-19 ao público, a verdade é que o Infarmed já detetou a comercialização de kits em várias farmácias do país.

Infarmed apanha farmácias a vender testes ilegais à covid-19

Infarmed apanha farmácias a vender testes ilegais à covid-19

Apesar de estarem proibidas de vender testes rápidos de covid-19 ao público, a verdade é que o Infarmed já detetou a comercialização de kits em várias farmácias do país.

Apesar de as farmácias estarem proibidas de vender testes rápidos de covid-19 ao público, a verdade é ques o Infarmed já detetou a comercialização ilegal desses kits e está a notificar os infratores para que deixem de o fazer.

O Infarmed tem “em curso ações de fiscalização às farmácias comunitárias no que respeita a venda e realização de testes rápidos”, já que a sua venda ao público não é permitida, disse fonte oficial da Autoridade Nacional do Medicamento. A mesma fonte explica que quando são detetas essas situações, o Infarmed “enceta as ações necessárias para que a farmácia cesse essa prática”. Até ao momento, as ações necessárias têm sido a mera advertência.

Apenas testes antigénio

Várias farmácias garantiram que vendem testes ao público. Algumas recomendaram que o teste fosse feito por um profissional e uma até indicou um gabinete de enfermagem onde se poderia, querendo, realizar o teste. No entanto, quando confrontadas com um pedido oficial de informações, negaram a venda ou recusaram dar informações.

Desde o passado dia 16 de dezembro, lembra fonte oficial da Entidade Reguladora da Saúde, as farmácias que cumpram um conjunto de requisitos podem realizar testes antigénio (vulgo testes rápidos). Estão habilitadas 373 das três mil farmácias do país, de acordo com a bastonária da Ordem dos Farmacêuticos, Ana Paula Martins.

Tal como escreve o Jornal de Notícias, também a Entidade Reguladora da Saúde está a “monitorizar o cumprimento da lei”, quer verificando se os prestadores de cuidados de saúde cumprem a obrigação de registo, quer analisando “todas as denúncias e reclamações que lhe forem remetidas”.

A Associação Nacional de Farmácias assegura desconhecer a venda de testes ao público. Sobre a testagem à covid-19, “garante formação e informação específicas às farmácias”.

LEIA MAIS
Covid-19: UE estuda «certificado de imunidade» para viajar sem restrições

Impala Instagram


RELACIONADOS