Incêndio destrói telhado de edifício histórico no centro de Turim

Um incêndio destruiu esta manhã o telhado das Cavalariças Reais em Turim, Itália, sem provocar dívidas mortais. O edifício, classificado património da Humanidade pela UNESCO, está localizado no centro da cidade.

Incêndio destrói telhado de edifício histórico no centro de Turim

Incêndio destrói telhado de edifício histórico no centro de Turim

Um incêndio destruiu esta manhã o telhado das Cavalariças Reais em Turim, Itália, sem provocar dívidas mortais. O edifício, classificado património da Humanidade pela UNESCO, está localizado no centro da cidade.

Um incêndio destruiu esta manhã o telhado das Cavalariças Reais em Turim, Itália, sem provocar dívidas mortais. O edifício, classificado património da Humanidade pela UNESCO, está localizado no centro da cidade. Quatro equipas de bombeiros estiveram envolvidas no combate às chamas, que também destruíram parcialmente a zona dos estábulos deste edifício que integra o complexo do Palácio Real de Turim (norte de Itália).

LEIA DEPOIS
Bebé que nasceu sem rosto já se alimenta sem recurso a sonda

Causas  do incêndio são desconhecidas

As causas do incêndio são, até ao momento, desconhecidas, indicaram as mesmas fontes, que avançaram que uma investigação foi aberta. “Toda a área foi isolada. Por sorte, o fogo foi extinto e não houve feridos”, indicou um responsável local, Claudio Palomba, após uma visita ao local. O edifício histórico, que está ao abandono há vários anos, já tinha sido atingido por incêndios em 2014 e 2016.

A estrutura tem sido ocupada por elementos de associações geralmente conotadas com a esquerda italiana. A presidente da câmara de Turim, Chiara Appendino, que pertence ao Movimento Cinco Estrelas (M5S, partido antissistema e membro da atual coligação governamental no poder) elogiou a rápida intervenção dos bombeiros, que conseguiram evitar que o incêndio se propagasse e atingisse um auditório da RAI (a estação pública italiana) e os Arquivos do Estado, edifícios que ficam nas imediações das Cavalariças Reais. “Os danos poderiam ter sido ainda maiores”, disse a autarca.

Palácio Real de Turim foi declarado em 1997 património da Humanidade

“Dói ver um edifício histórico em chamas. Será necessário estabelecer as causas, mas é óbvio que não podemos deixar as ‘Cavallerizza Reale’ (nome em italiano) neste estado”, acrescentou Chiara Appendino.

Mas para Vittoria Poggio, adjunta regional para a área da Cultura, a Câmara de Turim também tem parte da responsabilidade.

“Trata-se de um complexo arquitetónico histórico, é necessário que a câmara, que é responsável pela gestão, encontre uma utilização para o edifício, não podemos deixar este tipo de propriedade ao abandono”, afirmou Vittoria Poggio. O complexo do Palácio Real de Turim foi declarado em 1997 património da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

LEIA MAIS
Previsão do tempo para terça-feira, 22 de outubro
Alunos da Escola Secundária do Pinhal Novo protestam contra falta de funcionários

 

Impala Instagram


RELACIONADOS