Forcado morre após 2 dias internado. Hospital de Beja pede 25 mil euros à família

Forcado morre após 2 dias internado. Hospital de Beja pede 25 mil euros à família

Pedro Primo foi colhido por um touro em 2017, em Cuba, sendo transferido para o Hospital de Beja, onde durante dois dias recebeu assistência médica. Agora, a unidade hospitalar pede 25 mil euros à família.

O forcado Pedro Primo ficou gravemente ferido depois de ter sido colhido por um touro em plena arena, em Cuba. A vítima foi assistida no Hospital de Beja, onde esteve dois dias, e que pede agora 25 mil euros à família.

O caso remonta a 2017. Pedro Primo, de 25 anos, forcado dos Amadores de Cuba, participou numa pega de caras, quando foi colhido por um touro. O jovem foi transportado para o Hospital de Beja e, dois dias depois, transferido para o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, onde acabou por morrer com lesões graves no fígado.

Agora, a unidade hospitalar pede 25 mil euros referentes às despesas hospitalares. A mãe do forcado, Conceição Cardeira, revela ao Correio da Manhã que não sabe como fazer face à despesa. A progenitora encontra-se desempregada e tem ainda mais dois filhos à sua responsabilidade. Conceição Cardeira conta, à mesma publicação, que na altura, o Grupo de Forcados Amadores de Cuba lhe prometeu ajuda, mas até à data a mãe de Pedro não recebeu nada. Pedro Primo tinha abandonado o Grupo, pelo que não tinha nenhum seguro que cobrisse eventuais acidentes.

O Hospital de Beja, em declarações ao jornal, refere que o caso está a «merecer a atenção da administração», não revelando mais pormenores.

LEIA MAIS

Night King pede à PSP para criminalizar spoilers de Guerra dos Tronos
Previsão do tempo para terça-feira, 16 de abril

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Forcado morre após 2 dias internado. Hospital de Beja pede 25 mil euros à família

Pedro Primo foi colhido por um touro em 2017, em Cuba, sendo transferido para o Hospital de Beja, onde durante dois dias recebeu assistência médica. Agora, a unidade hospitalar pede 25 mil euros à família.