Homem mata jovem ao acaso porque «parecia demasiado feliz»

Um homem de 27 anos é acusado de ter matado um jovem ao acaso por lhe parecer «demasiado feliz». O caso está a chocar Itália.

Homem mata jovem ao acaso porque «parecia demasiado feliz»

Homem mata jovem ao acaso porque «parecia demasiado feliz»

Um homem de 27 anos é acusado de ter matado um jovem ao acaso por lhe parecer «demasiado feliz». O caso está a chocar Itália.

Said Mechaout, de 27 anos, foi detido por ter matado Stefano Leo, um italiano, de 33 anos, que não conhecia e que escolheu assassinar aleatoriamente, entre várias pessoas que passavam numa rua em Turim, por lhe parecer «demasiado feliz».

O suspeito confessou o crime e a frieza do seu discurso está a chocar o país: «Nesse dia fiquei a observar os rostos dos transeuntes, os reformados que passeavam os cães, as mães com os seus filhos, os rapazes que conversavam e brincavam em grupos. E depois vi-o a ele, com esse ar feliz e sereno que me pareceu insuportável (…) Escolhi matá-lo porque parecia feliz e não suporto a felicidade», disse o agressor, segundo o inquérito policial citado pelo ‘Corriere della Sera’.

A vítima estava a caminho do trabalho, quando foi abordada pelo agressor. Depois de ser atacado, o jovem ainda tentou escapar, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O pai de Stefano não consegue superar a dor: «Pensar que o meu filho morreu por causa de um olhar ou de um sorriso que deu ao seu assassino é inaceitável».

O homicida, de origem marroquina, era divorciado, não tinha registo de casa e emprego, e tinha antecedentes por violência doméstica. Apesar de a vítima ter sido escolhida ao acaso, o crime terá sido premeditado. Segundo a mesma publicação, Said Mechaout decidira que, naquela manhã, mataria alguém. «Fui comprar um conjunto de facas e deitei-as fora a todas menos a mais afiada. Fui para Murazzi del Po [local do crime] e esperei. Quando vi aquele rapaz, não suportei a felicidade dele», admitiu.

«Quis privá-lo de todos os projetos que tinha. Quis tirá-lo dos filhos e dos familiares», acrescenta.

Quando foi detido, no domingo à noite, o suspeito não chorou nem se mostrou arrependido. Quando foi levado para a prisão, levantou a mão aos fotógrafos e fez com ela o gesto de corno.

O ministro do Interior, Matteo Salvini, já se pronunciou relativamente a este caso e promete justiça. «Não há palavras. Farei todo o possível para que a família do pobre Stefano obtenha Justiça», escreveu no Twitter.

LEIA MAIS
Rosa Grilo já chegou ao tribunal
Morreu António Manuel Arnaut aos 59 anos

 

Impala Instagram


RELACIONADOS