Homem abraça polícia que matou o seu irmão: «Só quero o melhor para ti»

Brandt Jean disse, perante os familiares, as testemunhas e os magistrados, que perdoava a agente condenada pela morte do irmão.

Homem abraça polícia que matou o seu irmão: «Só quero o melhor para ti»

Homem abraça polícia que matou o seu irmão: «Só quero o melhor para ti»

Brandt Jean disse, perante os familiares, as testemunhas e os magistrados, que perdoava a agente condenada pela morte do irmão.

Homem deixou os presentes no tribunal de Dallas, Estados Unidos, emocionados esta quarta-feira, 2 de outubro, depois de abraçar Amber Guyger, ex-polícia, condenada a 10 anos de prisão por ter matado a tiro o seu irmão. Brandt Jean disse, perante os familiares, as testemunhas e os magistrados, que a perdoava. «Eu não era para dizer isto em frente à minha família, ou a qualquer outra pessoa, mas eu nem quero que vá para a prisão. Eu só quero o melhor para ti.»

LEIA DEPOIS

Previsão do tempo para esta sexta-feira, 4 de outubro

Agente terá ouvido barulho e terá pensado que tinha intrusos em casa

O crime ocorreu em 2018. Amber Guyger disparou contra Botham quando entrou no apartamento errado. A mulher terá ouvido barulho e terá pensado que tinha intrusos em casa, mas entrou na casa abaixo da sua e assassinou o jovem, de 26 anos. «Teria sido diferente se ele fosse um homem branco? Teria ela reagido de maneira diferente?», questionou a mãe da vítima, Allison Jean, poucos dias depois da morte do filho.

Botham é descrito como uma pessoa «calma»

Botham Jean é descrito pelos familiares como uma pessoa «calma» que usava roupas de marca e conduzia dentro do limite de velocidade para evitar confrontos com a polícia. Devido ao facto de ser negro, Jean sabia que muitas vezes os encontros com a polícia podiam ser propensos à violência.

Família diz que a agente está arrependida

A família de Amber não deixou de frisar o arrependimento que a suspeita sente. Disseram que a mulher tinha perdido o seu tom jovial e a sua personalidade extrovertida e revelaram que a ex-agente tinha confessado que preferia ter sido ela a morrer, em vez do jovem negro.

Por outro lado, a sentença não foi bem aceite por alguns ativistas que se faziam ouvir fora do tribunal e que pediram ao juiz para considerar uma pena pesada. A procuradoria tinha pedido 28 anos de prisão, a idade que Botham teria se fosse vivo.

LEIA MAIS

As reações de vários políticos à morte de Freitas do Amaral

Impala Instagram


RELACIONADOS