Governo britânico aprova extradição de Julian Assange para os Estados Unidos

O Governo britânico confirmou hoje a extradição do fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, para os Estados Unidos onde é procurado pela divulgação de uma grande quantidade de documentos confidenciais. 

Governo britânico aprova extradição de Julian Assange para os Estados Unidos

Governo britânico aprova extradição de Julian Assange para os Estados Unidos

O Governo britânico confirmou hoje a extradição do fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, para os Estados Unidos onde é procurado pela divulgação de uma grande quantidade de documentos confidenciais. 

O Governo britânico confirmou hoje a extradição do fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange, para os Estados Unidos onde é procurado pela divulgação de uma grande quantidade de documentos confidenciais.  “De acordo com a Lei de Extradição de 2003”, o governo deve assinar uma ordem de extradição “se não houver motivos que parem a ordem”, disse um porta-voz do Ministério do Interior britânico confirmando que a ministra Priti Pratel já assinou o documento de extradição. A decisão é um momento que pode por termo à longa batalha legal de Assange que tentou durante os últimos anos, no Reino Unido, evitar a extradição para os Estados Unidos.

«Dia negro para a liberdade de imprensa»

Formalmente, Julian Assange, de 50 anos, preso no Reino Unido, tem 14 dias para apresentar recurso. Em reação à ordem de extradição, o portal WikiLeaks já considerou que se trata “de um dia negro para a liberdade de imprensa e para a democracia britânicas”. “Qualquer pessoa, neste país, que se preocupe com a liberdade de expressão deve estar profundamente envergonhada com o facto de a ministra do Interior ter aprovado a extradição de Julian Assange para os Estados Unidos, um país que planeou assassiná-lo”, refere o comunicado divulgado pelo portal WikiLeaks.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS