GNR recebe 125 mil euros de indemnização após colega ser executado

Ataque ocorreu quando Mihael Codja, moldavo de 59 anos e veterano da guerra do Afeganistão, invadiu um restaurante a exigir 50 mil euros para um tratamento médico.

GNR recebe 125 mil euros de indemnização após colega ser executado

GNR recebe 125 mil euros de indemnização após colega ser executado

Ataque ocorreu quando Mihael Codja, moldavo de 59 anos e veterano da guerra do Afeganistão, invadiu um restaurante a exigir 50 mil euros para um tratamento médico.

Ricardo Batista foi um dos militares da GNR que, em novembro de 2013, ficaram feridos quando um ex-militar das tropas especiais russas fez explodir uma granada após ter feito reféns num restaurante no Pinhal Novo. O colega Bruno Chaínho foi executado ao salvar duas reféns e Batista ainda hoje vive com traumas psicológicos e físicos, contou ao CM um colega do militar. Agora, sete anos e meio após a tragédia, o Estado vai finalmente atribuir ao guarda principal Batista uma indemnização de 125.742,79 euros.

De acordo com o despacho do primeiro-ministro António Costa, e dos ministros das Finanças e da Administração Interna, o militar foi atingido por estilhaços de granada “que lhe causaram lesões físicas e psicológicas muito graves“. E, no âmbito de uma lei de 1985 para indemnizar funcionários alvos de “atos terroristas, com caráter de intimidação ou retaliação”, tem direito à indemnização fixada por resolução do Conselho de Ministros. O ataque ocorreu quando Mihael Codja, moldavo de 59 anos, veterano da guerra do Afeganistão, invadiu um restaurante a exigir 50 mil euros para um tratamento médico.

Fez refém uma família. Bruno Chaínho, de 27, salvou mãe e filha antes de ser abatido com um tiro na cabeça. Batista (que os colegas já ajudaram a pagar as despesas médicas) foi depois ferido.  Os pais da vítima foram indemnizados em 121.250 mil euros.

LEIA AINDA
Empresário condenado por tentar matar jornalistas da RTP [imagens]
Empresário condenado por tentar matar jornalistas da RTP [imagens]
O empresário de Torres Novas que tentou atropelar uma equipa de reportagem da RTP foi condenado a cinco anos de prisão. O caso remonta a 2016, durante uma reportagem de investigação da sobre incêndios. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS