GNR já deteve este ano 36 pessoas por suspeita do crime de incêndio

A Guarda Nacional Republicana (GNR) elaborou desde o início do ano 82 autos de contraordenação pela realização indevida de queimas e queimadas, identificou 205 arguidos como presumíveis autores de incêndios e deteve 36 pessoas pelo mesmo crime.

GNR já deteve este ano 36 pessoas por suspeita do crime de incêndio

GNR já deteve este ano 36 pessoas por suspeita do crime de incêndio

A Guarda Nacional Republicana (GNR) elaborou desde o início do ano 82 autos de contraordenação pela realização indevida de queimas e queimadas, identificou 205 arguidos como presumíveis autores de incêndios e deteve 36 pessoas pelo mesmo crime.

Numa resposta enviada à agência Lusa, a GNR refere que desde o início do ano, até ao passado domingo, elaborou 82 autos de contraordenação pela realização indevida de queimas (sete autos de contraordenação) e de queimadas (75 autos). “Já foram elaborados 1.391 autos de notícia por crime de incêndio florestal, tendo sido identificados 205 arguidos como presumíveis autores dos incêndios e efetuadas 36 detenções pelo mesmo crime”, indica ainda a GNR.

Para ler depois
Multa por falta de limpeza de terrenos pode chegar aos 60 mil euros
A Guarda Nacional Republicana esclareceu hoje que as multas para quem não cumpra o prazo para a limpeza dos terrenos florestais variam entre um máximo de cinco mil e 60 mil euros, caso seja pessoa singular ou coletiva (… continue a ler aqui)

O prazo para a limpeza dos terrenos florestais para os proprietários, arrendatários e usufrutuários termina no sábado, depois de dois anos em que o período foi prorrogado devido à pandemia de covid-19 e às condições climatéricas.

Segundo informação divulgada pela GNR, em maio vai começar a fiscalização de gestão de combustível, nomeadamente nas freguesias identificadas como prioritárias, com elaboração de autos de contraordenação em casos de incumprimento.

Este ano o Governo identificou 1.001 freguesias prioritárias, menos uma do que em 2021.

De acordo com um despacho publicado em março, a fiscalização nestas zonas é realizada entre 01 e 31 de maio, incidindo nos terrenos confinantes a edifícios em espaços rurais (numa faixa de 50 metros) e os aglomerados populacionais, bem como parques de campismo, parques industriais, plataformas de logística e aterros sanitários em espaços florestais (numa faixa de 100 metros).

Para as redes viária, ferroviária e nas linhas de transporte e distribuição de energia elétrica a fiscalização será feita entre 01 e 30 de junho.

O ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, disse na quarta-feira que “dentro de dias” o Governo vai apresentar o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR) para este ano.

Questionado sobre o reforço de meios de combate para a próxima época de fogos, José Luís Carneiro afirmou que “os meios estão a ser preparados com todo o rigor” e vão “corresponder às necessidades do país”.

 

RCP (CMP) // VAM

 

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS