Forças de segurança vão ter oficial de direitos humanos para monitorizar discriminação

A PSP, GNR e SEF vão ter um oficial de direitos humanos para acompanhar e monitorizar em cada uma destas polícias o Plano de Prevenção de Manifestação de Discriminação nas Forças de Segurança, foi hoje anunciado.

Forças de segurança vão ter oficial de direitos humanos para monitorizar discriminação

Forças de segurança vão ter oficial de direitos humanos para monitorizar discriminação

A PSP, GNR e SEF vão ter um oficial de direitos humanos para acompanhar e monitorizar em cada uma destas polícias o Plano de Prevenção de Manifestação de Discriminação nas Forças de Segurança, foi hoje anunciado.

A criação em cada força de serviço de um oficial de direitos humanos é um dos objetivos que consta do Plano de Prevenção de Manifestação de Discriminação nas Forças de Segurança hoje apresentado em Lisboa.

Segundo o documento, o oficial de direitos humanos terá como atribuições a “coordenação e monitorização da implementação deste plano dentro da respetiva força de segurança, bem como a articulação com a Inspeção-geral da Administração Interna (IGAI) que o coordena de forma global”.

O plano, que define áreas de intervenção, objetivos e medidas específicas relacionadas com o recrutamento, formação e atuação dos elementos das forças de segurança, foi elaborado pela IGAI e conta com a participação da Guarda Nacional Republicana (GNR), da Polícia de Segurança Pública (PSP) e do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF).

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, presidiu à sessão de apresentação do Plano de Prevenção de Manifestações de Discriminação nas Forças e Serviços de Segurança.

CMP // ZO

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS