Filha de assassina de Gabriel Cruz pede ao juiz para não ver a mãe

Filha de Ana Julia Quezada, a mulher que está a ser julgada em Espanha pelo assassinato de Gabriel Cruz, pediu ao juiz para não ver a mãe.

A filha de Ana Julia Quezada, a mulher que está a ser julgada em Espanha pelo assassinato de Gabriel Cruz, pediu ao juiz para não ver a mãe. Judit Quezada, de 24 anos, prestou declarações no decorrer do julgamento da mãe e pediu para que a suspeita não fosse colocada no mesmo espaço porque não a queria ver. «Nunca mais», afirmou com firmeza.

LEIA MAIS: Polícias salvaram bebé de morrer engasgada com nugget [vídeo]

A jovem deu o seu testemunho sempre muito chorosa. Assegurou que não voltou a falar com a mãe desde que ela foi detida e que não quer voltar a falar com Ana Julia Quezada. «Peço-lhe aqui, embora ela não me ouça agora, que não me volte a ligar desde a prisão, como fez noutro dia. Isso causa-me muito sofrimento. Queria também pedir-lhe, a si, meritíssimo juiz, que não me obrigasse a estar presente no dia da leitura da sentença. Não a quero ver. Nunca mais! E quero esquecer que um dia foi minha mãe», pediu. Ao magistrado, a jovem explicou que começou a suspeitar do envolvimento da mãe na morte de Gabriel no dia em que a criança desapareceu, devido ao «comportamento estranho» que Ana Julia apresentou.

Filha mais velha da assassina internada após confissão da mãe

A filha mais velha de Ana Julia Quezada, a mulher que confessou ter matado Gabriel Cruz , foi internada numa unidade hospitalar devido a uma forte crise de ansiedade. De acordo com os órgãos de comunicação espanhóis, a jovem de 24 anos teve um ataque de pânico quando descobriu que a mãe era suspeita de ter matado o menino de 8 anos. A filha mais velha de Ana Julia Quezada teve uma irmã (da mesma mãe), que morreu em 1996. A criança terá caído de uma janela da residência onde a família vivia na altura – um apartamento no sétimo andar, em Burgos.

LEIA MAIS: Morte de ex de Maria Leal forjada. Saiba o que aconteceu e veja as provas

Após a trágica morte da irmã, a Polícia ainda abriu uma investigação, mas o caso foi considerado um «acidente». No entanto, atualmente as autoridades decidiram reabrir o caso. Suspeitam do envolvimento de Ana Julia na morte de outro menor, que estava a seu cuidado. Ana Julia Quezada foi detida no passado dia 11 de março, depois de as autoridades espanholas terem descoberto o corpo de Gabriel Cruz, o menino de oito anos desaparecido a 27 de fevereiro em Almería. Para além de estar envolvida na morte do filho do namorado, Ana Julia poderá ser também acusada da morte da própria filha, em Burgos.

Assassina de Gabriel Cruz poderá também matado uma filha, de 4 anos

De acordo com as últimas informações, em Espanha, a filha mais nova terá caído de uma janela. Apesar de a queda ter sido considerada acidental, existiram fortes suspeitas de que a criança tivesse sido atirada, visto que «o edifício tinha janelas difíceis de abrir». O caso passou-se em Burgos, em 1996, quando a madrasta de Gabriel Cruz vivia nessa localidade. A menina tinha quatro anos quando perdeu a vida. A suspeita da morte de Gabriel viveu em Burgos com as duas filhas, a que faleceu e Judit. A família vivia originalmente na República Dominicana.

LEIA MAIS: Jogador morto e torturado no Brasil tirou fotos com a mulher do assassino

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Filha de assassina de Gabriel Cruz pede ao juiz para não ver a mãe

Filha de Ana Julia Quezada, a mulher que está a ser julgada em Espanha pelo assassinato de Gabriel Cruz, pediu ao juiz para não ver a mãe.