Farmácias podem ficar sem paracetamol, ibuprofeno e xaropes para crianças

Infeções respiratórias podem aumentar procura de paracetamol e ibuprofeno que estão a ser repostos nas farmácias de forma mais lenta. Risco de rutura é real.

Farmácias podem ficar sem paracetamol, ibuprofeno e xaropes para crianças

Farmácias podem ficar sem paracetamol, ibuprofeno e xaropes para crianças

Infeções respiratórias podem aumentar procura de paracetamol e ibuprofeno que estão a ser repostos nas farmácias de forma mais lenta. Risco de rutura é real.

Nesta altura do ano multiplicam-se as infeções respiratórias e com o aproximar do Natal e Ano Novo, as farmácias nacionais estão a demorar mais tempo do que o habitual para repor medicamentos. Neste momento, no mercado existe já uma escassez de paracetamol, ibuprofeno e xaropes para crianças. Como a reposição está a demorar mais tempo do que o normal, existe o risco de ruptura caso exista uma corrida aos medicamentos mencionados.

Leia depois
Saiba se é boa ideia tomar paracetamol depois de uma noite de copos
Fique a par dos riscos que corre quando toma paracetamol para aliviar a dor de cabeça depois de uma noite marcada pelo abuso de álcool (… continue a ler aqui)

A Ordem dos Médicos e a Associação Nacional das Farmácias defendem que a medida para solucionar este problema passa pelo aumento dos preços. Já em novembro, o ministro da saúde tinha revelado estar atento à evolução dos preços dos medicamentos. Querendo assim evitar a subida dos valores em 2023. Este assunto já foi mesmo debatido na comissão parlamentar de saúde.

Alteração dos preços pode ser solução

O médico António Neves da Silva, do Conselho Nacional de Política do Medicamento da Ordem dos Médicos, recomenda mesmo uma alteração à lei de venda dos atidiabéticos. Para que somente os doentes com diabetes possam comprar estes medicamentos. Impedindo assim que sejam adquiridos por quem está querer perder peso. Ainda assim, o foco neste momento será a revisão dos preços.

Paracetamol e ibuprofeno: Quando e qual tomar?

Segundo a CUF, “Em geral, em casos de dor ligeira, o paracetamol é o fármaco recomendado em primeira linha. Quando a dor estiver associada a inflamação, o ibuprofeno pode ser a primeira opção, de acordo com a patologia associada do doente.” Apesar disso, há situações em que até podem ser tomados em conjunto, mas só se for dada essa indicação pelo médico assistente (já que não sujeitos a receita médica). Os dois são analgésicos, mas a verdade é que é importante saber a diferença entre os dois.

Paracetamol: Usado para aliviar pequenas dores, como dor de dente, dores de cabeça, menstruação.
Ibuprofeno: Também é analgésico, mas ao contrário do paracetamol, este medicamento também é anti-inflamatório. Assim, deve ser especialmente usado quando há uma inflamação, tais como entorses, dores de gargante, muculares.
Ou seja, se só tiver dor de cabeça, opte pelo paracetamol! Se tiver uma área inflamada, deve optar pelo ibuprofeno.

Em que circunstâncias não deve tomar?
Não deve tomar ibuprofeno se tiver problemas no fígado ou estômago e deve fazê-lo sempre após as refeições. O parecetamol pode ser usado se estiver grávida, mas não é recomendado para pessoas com com alergias ou sensibilidade a algum componente do medicamento. Apesar do esclarecimento, não se automedique! Aconselhe-se com o seu médico e leia o folheto informativo.

Texto: Bruno Seruca

Impala Instagram


RELACIONADOS