Família de brasileiro morto em Odivelas pede ajuda para transladar o corpo

A principal suspeita do crime é Silmara da Silva Santos, a sua companheira de 32 anos.

Família de brasileiro morto em Odivelas pede ajuda para transladar o corpo

Família de brasileiro morto em Odivelas pede ajuda para transladar o corpo

A principal suspeita do crime é Silmara da Silva Santos, a sua companheira de 32 anos.

A família de Flávio Sousa, brasileiro morto  à facada em Odivelas, na passada segunda-feira, está a pedir ajuda para transladar o corpo para o Brasil. A principal suspeita do crime é Silmara da Silva Santos, a sua companheira de 32 anos. Os familiares da mulher, que está detida, também pedem ajuda, mas para que as autoridades brasileiras lhe prestem apoio jurídico.

LEIA DEPOIS
Meteorologia: Previsão do tempo para quinta-feira, 23 de janeiro

O custo estimado para transladar o corpo da vítima para a sua terra natal, Goiânia, onde vivia antes de se mudar para Portugal, ronda os 5,300 euros. O cadáver foi autopsiado no Instituto de Medicina Legal, em Lisboa, onde irá permanecer até que a família defina o destino do corpo de Flávio.

Suspeita enviou mensagens ao irmão após o crime

A suspeita enviou mensagens pelo WhatsApp para o irmão, poucos minutos após o crime onde confessa ter assassinado o namorado e onde dizia, também, que ia alertar as autoridades. Passados dez minutos, Silmara parou de responder às mensagens terá sido nessa altura que as autoridades e os bombeiros chegaram ao local e encontraram Flávio sem vida.

A família de Silmara considera que ela agiu em legítima defesa uma vez que já tinha comentado sobre a agressividade do namorado. Contudo, e de acordo com o site Metrópoles, não há qualquer registo de violência doméstica. A mulher mudou-se para Portugal com o objetivo de arranjar trabalho como cuidadora de idosos, mas não tinha visto de trabalho, apenas o de turista.

LEIA MAIS
Pai e madrasta matam e enterraram criança de três anos no quintal

 

Impala Instagram


RELACIONADOS