Exército somali informa ter matado mais de 30 elementos do grupo Al Shabad esta madrugada

O exército somali, que intensificou os seus combates contra o grupo extremista islâmico do Al Shabab no último mês, matou esta madrugada mais de 30 membros suspeitos do grupo no centro do país, informou hoje o Governo somali.

Exército somali informa ter matado mais de 30 elementos do grupo Al Shabad esta madrugada

Exército somali informa ter matado mais de 30 elementos do grupo Al Shabad esta madrugada

O exército somali, que intensificou os seus combates contra o grupo extremista islâmico do Al Shabab no último mês, matou esta madrugada mais de 30 membros suspeitos do grupo no centro do país, informou hoje o Governo somali.

“Mais de 30 membros do Al Shabab foram mortos pelo exército somali na zona de Aborey, no leste do distrito de Bulobure, e na região de Hiran (centro)”, informou o Ministério da Informação da Somália através de um comunicado.

Segundo a declaração, a operação militar começou por volta das 14:00 horas locais (23:00 TMG).

A zona de Aborey, que até há pouco tempo permanecia sob o controlo do al Shabab, era um importante centro de operações do grupo extremista armado, que a partir dali se deslocava para o leste e outras partes do país.

O Presidente da Somália, Hassan Sheikh Mohamud, declarou uma “guerra total” contra o Al Shababab em 23 de agosto, comprometendo-se a “eliminar” o grupo, depois de este ter tomado o popular hotel Mogadíscio durante 30 horas e matado 21 pessoas.

No domingo passado, o Governo somali informou que “mais de 100” elementos do Al Shabab foram mortos em operações antiterroristas recentes em várias partes do país, anunciando que tinha tomado o controlo de mais de 20 locais em Galmudug (centro), Hirshabelle (sul) e Sudoeste (sul), até então sob o domínio dos terroristas.

O Al Shabab, um grupo filiado desde 2012 na Al Qaeda, realiza ataques terroristas frequentes na capital somali, Mogadíscio, e em outras partes da Somália, com o objetivo de derrubar o governo central e estabelecer um estado islâmico.

O grupo controla partes da Somália, especialmente zonas rurais no centro e sul, e tem protagonizado ataques a vários países vizinhos, incluindo o Quénia e a Etiópia.

A Somália encontra-se em estado de guerra e caos desde 1991, ano em que o ditador Mohamed Siad Barre foi derrubado, num golpe que deixou desde então o país sem um governo eficaz e nas mãos de milícias e senhores da guerra islâmicos.

APL// SF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS