Executado homem nos EUA condenado há 25 anos por homicídio

Defesa do preso pediu a tribunais que permitissem teste de ADN para provar que homem não era o atirador, mas Estado negou.

Executado homem nos EUA condenado há 25 anos por homicídio

Executado homem nos EUA condenado há 25 anos por homicídio

Defesa do preso pediu a tribunais que permitissem teste de ADN para provar que homem não era o atirador, mas Estado negou.

Ray Jefferson Cromartie, de 52 anos, foi declarado morto às 22h50 desta quarta-feira – 04h50 de hoje em Lisboa – após uma injeção de pentobarbital na prisão estadual de Jackson, de acordo com o comunicado a que a Lusa teve acesso.

LEIA DEPOIS
Oito pessoas intoxicadas por monóxido de carbono no concelho de Sintra

O homem foi condenado à morte pelo homicídio de Richard Slysz em abril de 1994, numa loja de conveniência em Thomasville. O caso ocorreu dias depois de ter ferido gravemente um funcionário de uma outra loja. A execução aconteceu depois de o Supremo Tribunal dos Estados Unidos rejeitar um apelo dos advogados do preso.

Preso negou ter alvejado qualquer funcionário

Cromartie negou ter alvejado qualquer funcionário e o advogados de defesa também pediram recentemente aos tribunais estaduais e federais que permitissem o teste de ADN para provar que não era o atirador. No entanto, o Estado respondeu que o teste não podia provar a inocência do preso.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para quinta-feira, 14 de novembro

Impala Instagram


RELACIONADOS