Esfaqueou e torturou o namorado com água a ferver. A história de Alex em documentário

Namoravam desde os 16 anos, têm 22, e os últimos foram de pura tortura para Alex, que só fez queixa quando uma médico lhe disse que este estava a 10 dias de morrer. Agora, a BBC lança um documentário sobre esta história

Esfaqueou e torturou o namorado com água a ferver. A história de Alex em documentário

Namoravam desde os 16 anos, têm 22, e os últimos foram de pura tortura para Alex, que só fez queixa quando uma médico lhe disse que este estava a 10 dias de morrer. Agora, a BBC lança um documentário sobre esta história

Namoraram desde os 16 e hoje, aos 22, ele é um jovem em recuperação psicológica e ela foi condenada a sete anos de prisão.

Durante anos Alex Skeel sofreu torturas físicas e psicológicas. Foi queimado com água a ferver, espancado com um martelo e com tudo o que aparecesse à mão de Jordan Worth, a namorada. O pesadelo só acabou quando ele foi encontrado em casa pelas autoridades, quase morto. «Agora, conta agora o que viveu às mãos da então namorada num documentário da BBC intitulado Abused By My Girlfrend.

Conheceram-se quando ambos tinham 16 anos. Ele vinha de uma família harmoniosa e tinha boas notas na escola, ela estudava artes e queria ser professora. Jordan, a namorada, estava envolvida em trabalho voluntário com animais e participava em angariações de dinheiro para crianças em África.

«Ela era muito carinhosa, confiante, amorosa. Mostrou um interesse real em mim», refere Alex Skeel, segundo o site do jornal britânico “Daily Mail”.

Nada fazia prever que desde cedo, a relação se tornasse num pesadelo.  Ela passou a controlar tudo na vida dele. O que Alex vestia ou com com quem se encontrava.

Foi esfaqueado várias vezes. Ia ao hospital e voltava a casa, onde vivia com a namorada. Obrigou-o a dormir no chão do quarto durante nove meses e proibiu-o de falar com amigos e família. Os vizinhos chegaram a chamar a polícia mas Alex desmentia que as lesões tivessem sido feitas pela namorada. A polícia diz que é um dos piores casos que já viu, mas Alex voltava sempre para Jordan. Uma das vezes que o homem cedeu e voltou a juntar-se com a agressora, foi quando ela revelou estar grávida.

Tiveram dois filhos e as agressões mantiveram-se sempre.

Na primeira vez que a polícia foi chamada a casa do casal, estes insistiram que os ferimentos tinham sido autoinfligidos, mesmo existindo «sangue por toda parte», relata o sargento Ed Finn, da polícia de Bedfordshire, no site do Daily Mail. No final da relação, conta Alex, ela encurralava-o nos cantos da casa e atirava-lhe água a ferver para cima.

Só quando um médico lhe disse que ele estava a 10 dias de morrer e um polícia o obrigou a contar a verdade  é que este cedeu.

A  ex-namorada acabou por se tornar na primeira mulher britânica condenada por violência doméstica. A condenação foi feita pelo tribunal de Luton e resultou em sete anos de prisão por ofensas à integridade física agravadas. Há ainda outra sentença de seis meses por comportamento coersivo e controlador.

«Senti-me tão livre no dia em que ela foi para a prisão. Foi um alívio enorme. Lembro-me de apenas dizer que, na verdade, posso olhar por cima do meu ombro pela primeira vez em cinco anos sem me preocupar», disse Alex Skell, de acordo com o Daily Mail. «Agora que estou livre do relacionamento, estou a começar a entender melhor o abuso. E espero poder ajudar os outros a entender isso também»

«Pensei que os meus braços e pernas tinham de ser amputados. Tinha feridas abertas. Perdi 19 quilos. Passei de 63 quilos para 44 quilos. Foi horrível. Foram três anos de abusos psicológicos que depois se transformaram em abusos físicos», contou.

Com este relato, Alex quer mudar a visão das pessoas sobre a violência e a masculinidade, numa tentativa que outros homens ganhem coragem para falar.

Impala Instagram


RELACIONADOS