Equatorianos agridem venezuelanos e queimam os seus pertences [vídeo]

Imagens que mostram a violência contra venezuelanos no Equador tornaram-se virais. Na origem da revolta dos equatorianos está um alegado crime.

Equatorianos agridem venezuelanos e queimam os seus pertences [vídeo]

Equatorianos agridem venezuelanos e queimam os seus pertences [vídeo]

Imagens que mostram a violência contra venezuelanos no Equador tornaram-se virais. Na origem da revolta dos equatorianos está um alegado crime.

Os venezuelanos estão a abandonar o país para fugir à crise económica e à consequente fome. Um dos locais que está a receber refugiados é o Equador, pela proximidade geográfica. Contudo, nas últimas semanas equatorianos da cidade de Ibarra estão a tentar expulsar os venezuelanos. Na origem do conflito está um alegado crime da autoria de um venezuelano. Um imigrante terá assassinado uma mulher grávida naquela cidade, desencadeando protestos violentos. Nas imagens que estão a ser difundidas centenas de habitantes perseguem venezuelanos no interior de centros comerciais e nas ruas da cidade de Ibarra. Numa outra gravação, pode ver-se um indivíduo que entra à força numa casa onde vivem vários refugiados e tira-os à força, destruindo também os seus bens.

Equatorianos gritam «fora daqui, venezuelanos»

Nas filmagens ouvem-se gritos de revolta. «Fora daqui, venezuelanos. Ibarra está presente.» Várias mensagens de ódio foram também escritas nas redes sociais, onde poucos são os que pedem calma. A situação levou já algumas associações de direitos humanos a manifestarem preocupação. «A raiz da cegueira e atos deploráveis contra seres humanos que fogem da fome e da falta de condições dignas de vida é lamentável», afirmou o presidente da Asociación Civil Venezuela no Equador, que conta com 125 mil associados. Lenín Moreno, presidente do Equador, também pediu calma para «controlar a situação nas ruas». «Estamos a estudar a possibilidade de dar uma autorização especial de residência aos nossos amigos venezuelanos e pedimos que o nosso povo seja solidário», sublinhou. O presidente da câmara de Ibarra convocou uma marcha solidária para «tentar sensibilizar os cidadãos que querem expulsar os venezuelanos da cidade».

LEIA MAIS

Menina de 2 anos entrega-se à Polícia quando vê os pais serem algemados [vídeo]

Corta órgão genital ao marido e faz receita com ele

«Às vezes já não tenho forças para lhe dar amor» | Ana Afonso é mãe de um menino autista

Impala Instagram


RELACIONADOS