Eleições/EUA: Biden à beira da vitória prepara-se para falar aos americanos

Joe Biden ultrapassou Donald Trump nos estados da Geórgia e Pensilvânia tornando cada vez mais clara a sua eleição como o próximo Presidente dos norte-americanos, a quem se vai dirigir em breve.

Eleições/EUA: Biden à beira da vitória prepara-se para falar aos americanos

Eleições/EUA: Biden à beira da vitória prepara-se para falar aos americanos

Joe Biden ultrapassou Donald Trump nos estados da Geórgia e Pensilvânia tornando cada vez mais clara a sua eleição como o próximo Presidente dos norte-americanos, a quem se vai dirigir em breve.

Depois de três dias envoltos em acusações infundadas de fraude eleitoral e anúncios de processos judiciais, fez-se silêncio na Casa Branca que ainda é ocupada por Donald Trump.

Já os responsáveis da equipa do candidato democrata anunciaram que Joe Biden falaria à nação dentro de uma hora, ou seja, em horário nobre nos Estados Unidos.

A razão deste anúncio estará relacionada com os resultados nos estados da Geórgia e Pensilvânia que colocam Biden cada vez mais próximo de conseguir os 270 delegados necessários para chegar à Casa Branca.

Neste momento, Biden ganha a Trump por uma margem de nove mil votos na Pensilvânia e por mais de 1.500 na Geórgia.

Ao longo do dia, os resultados na Pensilvânia foram aumentando as hipóteses de vitória do candidato democrata que permanece em Wilmington, Delaware, enquanto Trump se mantém na Casa Branca.

A campanha de Trump ficou subitamente muda, depois de vários dias marcados por acusações à integridade da eleição, que levaram mesmo alguns republicanos a afastarem-se do ainda presidente.

Um dos casos conhecidos foi o governador de Maryland, Larry Hogan, que disse não  haver “defesa para os comentários do presidente por ter minado o processo democrático”: “A América está a contar os votos e devemos respeitar os resultados como sempre fizemos”, sublinhou o republicano.

Através do Twitter, Donald Trump prometeu ações judiciais e defendeu que Biden não deveria “reivindicar indevidamente o cargo de presidente”.

Às 02:30 da manhã de hoje, Trump voltou a atacar, insistindo, através do Twitter, que o “Supremo Tribunal norte-americano deve decidir!”.

A campanha de Trump avançou com vários processos legais na Pensilvânia, Michigan e Geórgia, exigindo, ainda, a recontagem dos votos em Wisconsin. No entanto, os juízes dos três estados já recusaram as ações.

Num país politicamente dividido, o próximo presidente terá vários desafios, tais como conseguir combater a pandemia de covid-19.

Os Estados Unidos são o país mais atingido pelo coronavirus, ao contar com o mais alto número de mortos (234.944) e também com mais casos de infeção confirmados (mais de 9,6 milhões).

A pandemia de covid-19 já provocou mais de 1,2 milhões de mortos no mundo desde dezembro do ano passado, incluindo 2.792 em Portugal.

SIM // RBF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS