1. HOME >
  2. NOTICIAS >
  3. PORTUGAL E O MUNDO
EDP quer obrigar clientes a contratos de cinco anos

EDP quer obrigar clientes a contratos de cinco anos

EDP tem uma nova estratégia para conseguir manter o número de clientes e as receitas que representam.

A EDP Comercial tem em marcha uma nova estratégia para manter o número de clientes e as receitas que representam nos próximos anos. A empresa está a notificar os seus clientes industriais de que a duração dos contratos vai passar a ser de cinco anos. Como razão apresentada, a empresa de energias afirma a ‘atual conjuntura de preços no mercado».

LEIA MAIS: Chuva de aranhas assusta moradores [vídeo]

A EDP afirma que a adesão dos clientes a esta nova medida é «voluntária». No entanto, as cartas enviadas em dezembro aos seus clientes com contrato a chegar ao fim do prazo demonstram outra versão. Segundo o ‘Público’, a EDP refere que caso os clientes não aceitem as novas condições terão de «proceder à resolução do contrato».

A elétrica refere a conjuntura dos preços da energia no mercado como causa para esta mudança. Assim, apresenta como solução «prolongar os contratos».

O objetivo da EDP com esta alteração é garantir uma maior estabilidade na sua carteira de clientes industriais e nas suas receitas.

EDP: «Os contratos de maior prazo têm claros benefícios»

A empresa já se manifestou. Em resposta ao ‘Público’, indicou que os «contratos de maior prazo têm claros benefícios» para os clientes industriais. Segundo a empresa, com a mudança, aqueles clientes «garantem maior estabilidade e uma redução de custos ao beneficiarem dos preços mais baixos dos contratos de futuros a cinco anos».

Nas cartas não é apresentada alternativa ao cliente que não seja a de estender o contrato por cinco anos ou o seu fim.

No entanto, a empresa referiu à mesma publicação que «a decisão voluntária por parte dos clientes, que podem optar por amnter o prazo dos seus contratos».

A EDP Comercial é uma empresa diferente da EDP Serviço Universal que fornece energia aos clientes do mercado regulado.

LEIA MAIS: «Não discutam à frente das crianças»

Texto: Redação WIN - Conteúdos Digitais

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS