Dois jovens condenados por violações no Parque Verde em Coimbra

O Tribunal condenou hoje dois jovens a penas de prisão de 12 anos e 8 anos e seis meses, por vários assaltos e violações na margem esquerda do Mondego, no Parque Verde, em Coimbra, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022.

Dois jovens condenados por violações no Parque Verde em Coimbra

Dois jovens condenados por violações no Parque Verde em Coimbra

O Tribunal condenou hoje dois jovens a penas de prisão de 12 anos e 8 anos e seis meses, por vários assaltos e violações na margem esquerda do Mondego, no Parque Verde, em Coimbra, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022.

O primeiro, de 18 anos, que levou a maior pena já tinha sido condenado no passado a uma pena de prisão de cinco anos, suspensa na sua execução, por crimes de roubo e violação na forma tentada, em abril de 2021, e, noutro processo, que ainda não transitou em julgado, a uma pena efetiva de três anos e nove meses também por violação. Este arguido foi condenado pela prática de quatro crimes de violação, quatro crimes de roubo, dois crimes de gravações e fotografias ilícitas (gravavam os crimes praticados) e um crime de pornografia de menores (nas buscas, encontraram filmes pornográficos que envolviam menores no seu telemóvel).

O outro, de 20 anos e sem antecedentes, foi condenado a oito anos e seis meses de prisão pela prática dos mesmos crimes, com exceção da pornografia de menores, tendo sido aceite o pedido do Ministério Público de pena acessória de expulsão do país. O coletivo do Tribunal de Coimbra deu como provados a maioria dos factos, com a exceção de um roubo, em que permaneceram dúvidas quanto à sua autoria. “Não há palavras para descreverem o que os senhores fizeram. É demasiado grave. Criaram um grande alarme social em Coimbra e arredores”, afirmou a presidente do coletivo, no final da leitura do acórdão.

Menor abusada sexualmente numa tenda do MEO Sudoeste
Uma adolescente de 17 apresentou queixa por abusos sexuais no festival MEO Sudoeste. “Estava a chorar a a puxar os calções para cima”, disse uma testemunha. (… continue a ler aqui)

Navalha e álcool para atordoar

A juíza realçou que a situação do arguido mais novo “é mais complexa e grave”, face às condenações anteriores, sublinhando que “vai ter longos anos para permanecer no estabelecimento prisional e pensar naquilo que fez”. Os dois arguidos, presos preventivamente, procuravam assaltar e violar mulheres, na margem esquerda do rio Mondego, no Parque Verde, em Coimbra, aproveitando locais pouco iluminados.

Num dos casos, terão abordado um casal que passeava no Choupalinho com recurso a uma navalha e uma luva impregnada com álcool para os atordoar. Segundo a acusação a que a agência Lusa teve acesso, os dois arguidos terão ameaçado o namorado para não se mexer e violaram a sua companheira, filmando e tirando fotografias do ato.

Impala Instagram


RELACIONADOS