Diretor de marketing da Victoria’s Secret demite-se após contratação de modelo transgénero

No ano passado, o director de marketing da Victoria’s Secret, Ed Razek, defendeu que a marca não tinha de ter pessoas trans no desfile.

Diretor de marketing da Victoria’s Secret demite-se após contratação de modelo transgénero

No ano passado, o director de marketing da Victoria’s Secret, Ed Razek, defendeu que a marca não tinha de ter pessoas trans no desfile.

O diretor de marketing da Victoria’s Secret, Ed Razek, demitiu-se, após a contratação da modelo transgénero Valentina Sampaio, de 22 anos. Razek já tinha defendido, no ano passado, que a marca não tinha a necessidade de ter modelos trans, porque não comercializava para o mundo inteiro.

LEIA DEPOIS
Valentina Sampaio: a infância, o apoio da família e a entrada no mundo da moda

Victoria’s Secret é acusada de falta de diversidade e decide contratar modelo trans

A Victoria’s Secret tem vindo a sofrer algumas reestruturações, depois de no passado ter sido acusada de falta de diversidade. Primeiro, começou com o anúncio de que o desfile anual, característico da marca, não ia acontecer este ano. Depois com a contratação da modelo Valentina Sampaio, a primeira modelo transgénero a trabalhar com a marca. No entanto, esta nova contratação não agradou a todos, nomeadamente ao diretor de marketing da Victoria’s Secret.

Diretor de marketing não aceitou a nova contratação

O anúncio do despedimento de Razek foi feito pelo presidente da L Brands – empresa-mãe da VS –, Leslie Wexner, que enviou uma nota à comunicação social. Ed Razek estava na Victoria’s Secret desde 1983 e foi o responsável pelo sucesso mundial do desfile anual da marca. No entanto, no ano passado, o até então diretor de marketing da marca referiu que a Victoria’s Secret não tinha necessidade de ter pessoas trans no desfile. «Bem, porque não? Porque o desfile é uma fantasia. É um especial de entretenimento de 42 minutos», justificou, em declarações à Vogue. «Nós comercializamos para as pessoas a quem vendemos e não comercializamos para o mundo inteiro», defendeu, fazendo referência também aos modelos plus-size, que a marca teve no ano de 2000, e que não tiveram sucesso, porque «ninguém tinha interesse».

Polémicas na Victoria’s Secret quebra vendas

De acordo com o The Guardian, depois das declarações polémicas de Ed Razek, as audiência do desfile de 2018 desceram abruptamente e, no início deste ano, a marca anunciou o encerramento de 53 lojas na América do Norte, devido a uma quebra de 7% nas vendas. Os especialistas explicam esta queda da Victoria’s Secret com a dificuldade que a marca tem tido em reinventar-se.

LEIA MAIS
Encontrada mulher inglesa desaparecida em Faro
Grávida transportada de Faro para Lisboa por falta de incubadoras, mas bebé morre

Impala Instagram


RELACIONADOS