Detidos desde 5.ª feira 53 condutores com taxa de álcool de pelo menos 1,2 g/l

A GNR deteve, desde quinta-feira e até as 7:30 de hoje, 53 condutores com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l e 40 por conduzirem sem habilitação legal, informou hoje aquela força policial.

Detidos desde 5.ª feira 53 condutores com taxa de álcool de pelo menos 1,2 g/l

Detidos desde 5.ª feira 53 condutores com taxa de álcool de pelo menos 1,2 g/l

A GNR deteve, desde quinta-feira e até as 7:30 de hoje, 53 condutores com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l e 40 por conduzirem sem habilitação legal, informou hoje aquela força policial.

No âmbito da Operação “Ano Novo”, de 29 de dezembro até às 07:30 horas de hoje, a Guarda Nacional Republicana (GNR) fiscalizou 16.074 condutores, dos quais, 111 conduziam com excesso de álcool.

Destes, 53 foram detidos por conduzirem com uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l (gramas por litro de sangue), tendo sido ainda detidas 40 pessoas por conduzirem sem habilitação legal.

Das 4.105 contraordenações rodoviárias registadas pela GNR nestes dois dias, destacam-se 1.021 por excesso de velocidade, 270 por falta de inspeção periódica obrigatória, 112 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças, 76 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução e 104 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

Quanto à sinistralidade rodoviária, a GNR registou 417 acidentes, dos quais resultaram três vítimas mortais (resultantes de colisões em 30 de janeiro, uma em Bucelas, Lisboa, e outra em Moncarapacho, Faro), nove feridos graves e 83 feridos leves.

A GNR iniciou, na quinta-feira, a segunda fase da operação “Natal e Ano Novo 2022”, que termina na segunda-feira, reforçando a fiscalização e patrulhamento rodoviário nas estradas com maior tráfego neste período festivo.

Durante a operação, a GNR tem como prioridade, segundo divulgou hoje em comunicado, fiscalizar infrações relativas à condução sob a influência do álcool e de substâncias psicotrópicas, excesso de velocidade, falta de inspeção periódica obrigatória, manobras perigosas, incorreta execução de manobras de ultrapassagem, de mudança de direção e de cedência de passagem e utilização indevida do telemóvel.

Na primeira fase da operação, que decorreu entre 22 e 26 de dezembro, a GNR registou 867 acidentes, que provocaram oito mortos, 12 feridos graves e 199 feridos leves, além de ter detido mais de 100 condutores por apresentarem taxas de álcool no sangue consideradas crime.

VP (CMP) // EA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS