Detido após ameaçar ex-namorada de morte e agredi-la

Jovem de 20 anos está proibido de contactar com a ex-namorada.

Detido após ameaçar ex-namorada de morte e agredi-la

Detido após ameaçar ex-namorada de morte e agredi-la

Jovem de 20 anos está proibido de contactar com a ex-namorada.

Um homem de 20 anos foi detido por violência doméstica no Marco de Canaveses e proibido de contactar com a ex-namorada, que ameaçou de morte e «tentou coagir» para reatar a relação, revelou esta sexta-feira, 1 de novembro, a GNR do Porto.

LEIA DEPOIS
Bebé de seis meses atropelado em Castelo Branco

«No decorrer dos episódios de violência, o suspeito tentou sempre coagir a vítima a reatar a relação, tendo-a agredido na via pública, diante de terceiros, assim como ameaçou publicar nas redes sociais fotografias e vídeos de cariz sexual que dizia ter em sua posse», descreve o Comando Territorial do Porto da GNR.

Numa busca domiciliária no concelho de Marco de Canaveses, distrito do Porto, a GNR encontrou e apreendeu ao detido «uma carabina, duas armas de ar comprimido, um canivete de abertura automática, uma lanterna com dispositivo de choque elétrico dissimulado, munições, chumbos, equipamentos informáticos e de comunicação».

Durante a investigação no âmbito de um processo crime por violência doméstica, «os militares apuraram que o suspeito exercia violência física e psicológica contra a sua ex-namorada, uma mulher de 19 anos, com a qual manteve uma relação de quase dois anos».

Suspeito teria em «sua posse armas de fogo»

A GNR esclarece que o relacionamento já tinha antes «sofrido interrupções devido aos comportamentos obsessivos e controladores do agressor».

«As agressões agravaram-se com o fim da relação, decorrido a meados de agosto», tendo dado origem «a ameaças de morte dirigidas à mesma», acrescentou. Durante a investigação, a GNR apurou ainda «que o suspeito teria em sua posse armas de fogo, pelo que foi dado cumprimento a um mandado de detenção e a um mandado de busca domiciliária».

O detido, presente na quinta-feira ao Tribunal de Instrução Criminal de Marco de Canaveses, ficou sujeito às medidas de coação de «proibição de contactos com a vítima por qualquer forma ou meio, não se podendo aproximar desta a uma distância mínima de um quilómetro», descreve a GNR.

LEIA MAIS
Desvendadas as razões que levaram ao assassinato do português em França

Impala Instagram


RELACIONADOS