Criança sem-abrigo expulsa de cadeia de fast food [vídeo]

Criança sem-abrigo expulsa de cadeia de fast food [vídeo]

Criança sem-abrigo expulsa da cadeia de fast food Burger King. Menino foi convidado para almoçar por mulher sensibilizada com a sua situação.

Uma criança sem-abrigo foi expulsa da cadeia de fast food Burger King. O menino tinha sido convidado para almoçar por uma mulher sensibilizada com a sua situação.

O caso polémico aconteceu no Perú e tomou proporções internacionais. O menino, vendedor ambulante, estaria «com um olhar triste a ver as outras crianças a comer, do lado de fora», quando uma mulher lhe perguntou se tinha fome.

LEIA MAIS: 11 dicas de segurança para crianças que estão a aprender a andar

Perante a resposta positiva, a jovem decidiu convidá-lo para se juntar a ela numa mesa e almoçar. Pierina Guinetti Siches escreveu na sua página da rede social Facebook que «Gett ficou muito emocionado e feliz por poder almoçar num restaurante, como as outras crianças faziam».

«Levantei-me para ir buscar os nossos menus e ele ficou na mesa a guardar os meus pertences. Quando voltei com as bandejas, as minhas coisas estavam lá, mas o menino não», explicou.

Depois de a criança sem-abrigo ser expulsa, uma jovem pousou a comida e foi procurar o menino. Encontrou-o de lágrimas nos olhos

A jovem pousou a comida e foi procurar a criança, que acabou por encontrar «no exterior do restaurante e com lágrimas nos olhos». «Perguntei-lhe o que se tinha passado e ele explicou que tinha sido expulso pelos seguranças do Burguer King», contou.

Pierina ficou chocada com a situação e levou de novo o rapaz para o interior do estabelecimento, onde ainda estava a comida em cima da mesa. A jovem pediu para falar com o gerente do restaurante, mas as explicações dadas foram ainda mais revoltantes.

«Disseram-me que o tinham posto fora porque não queriam que incomodasse os clientes e que ele não era bem-vindo ali», afirmou.

LEIA MAIS: Massagem violenta a bebés é prática comum no Cazaquistão [vídeo]

A jovem gravou e fotografou vários momentos no interior do restaurante e partilhou as provas no Facebook. A história acabou por ser difundida a nível nacional e internacional.

A Câmara de Lima, capital do país, abriu uma investigação. Os inspetores dirigiram-se ao local, onde colocaram cartazes com a legislação que proíbe a descriminação. O proprietário do restaurante irá também responder em tribunal pelo crime.

LEIA MAIS: Princesa da Malveira critica vestido de noiva de Meghan Markle


RELACIONADOS