Covid-19: Irão atinge mais de metade da população vacinada – Governo

Cerca de 44 milhões de iranianos têm a vacinação completa contra a covid-19, mais de metade da população do país que foi o mais atingido pela pandemia no Médio Oriente, anunciou hoje o governo.

Covid-19: Irão atinge mais de metade da população vacinada - Governo

Covid-19: Irão atinge mais de metade da população vacinada – Governo

Cerca de 44 milhões de iranianos têm a vacinação completa contra a covid-19, mais de metade da população do país que foi o mais atingido pela pandemia no Médio Oriente, anunciou hoje o governo.

Segundo o Ministério da Saúde do Irão, cerca de 51% da população está agora totalmente vacinada contra o vírus SARS-CoV-2, numa altura em que o país regista o menor número de mortes diárias, com os especialistas a atribuírem essa redução à crescente taxa de vacinação.

 De acordo com as autoridades iranianas, o maior número de mortes por covid-19 registou-se a 24 de agosto (709), somando até hoje um total de 128 mil óbitos.

Nas últimas 24 horas, foram notificados mais de 3.500 novos casos de infeção e 118 mortes, de acordo com os números do Governo.

As autoridades de saúde têm alertado para a possibilidade de novas vagas de infeções, depois da última onda em agosto, potenciada pela variante Delta do coronavírus, que apresenta um elevado nível de transmissibilidade.

Devido à evolução positiva da pandemia no país, o presidente Ebrahim Raisi suspendeu hoje as restrições de tráfego noturno de viaturas particulares, que estavam proibidas de circular entre as 21:00 e a 04:00.

Além das vacinas Sinopharm, Sputnik-V e AstraZeneca, o Irão começou em junho a administrar uma vacina produzida no país, mas sem divulgar os resultados de segurança e de eficácia do fármaco.

A covid-19 provocou pelo menos 5.130.627 mortes em todo o mundo, entre mais de 255,49 milhões infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

PC // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS