Covid-19: Autoridade de Saúde avança com rastreio a alunos do Faial e Pico

Os alunos das escolas dos 1º e 2º ciclo das ilhas do Faial e do Pico, nos Açores, vão ser testados à covid-19, numa operação que se vai desenvolver “até ao final da próxima semana”.

Covid-19: Autoridade de Saúde avança com rastreio a alunos do Faial e Pico

Covid-19: Autoridade de Saúde avança com rastreio a alunos do Faial e Pico

Os alunos das escolas dos 1º e 2º ciclo das ilhas do Faial e do Pico, nos Açores, vão ser testados à covid-19, numa operação que se vai desenvolver “até ao final da próxima semana”.

O executivo açoriano já tinha decidido testar os alunos do 1.º e 2.º ciclos, nas escolas das ilhas Terceira e São Miguel (as duas em que está identificada a transmissão comunitária do SARS-CoV-2), operação que arrancou na quinta-feira, com testes de saliva.

Na sua página oficial na rede social Facebook, a Direção Regional da Saúde informa hoje que “no seguimento da monitorização da situação epidemiológica na Região Autónoma dos Açores, a Autoridade Regional de Saúde determinou a testagem de despiste da Covid-19 aos alunos dos 1º e 2º ciclos, nas ilhas do Pico e Faial”.

“O processo desenvolver-se-á até ao final da próxima semana”, lê-se ainda.

Na ilha de São Miguel, a operação de testagem em massa de despiste do SARS-CoV-2 dos alunos do 1.º e 2.º ciclos decorre desde quinta-feira, estimando-se que se realize até 16 de fevereiro.

Já na ilha Terceira, “prevê-se que o processo esteja concluído no dia 25 de janeiro no concelho de Angra do Heroísmo e no dia 19 de janeiro no concelho da Praia da Vitória”.

As aulas foram retomadas nos Açores na segunda-feira, uma semana mais tarde do que o inicialmente previsto, depois das férias de Natal, devido à evolução da pandemia de covid-19.

O secretário regional da Saúde justificou recentemente esta decisão, alegando que “são os níveis de ensino que não correspondem aos alunos potencialmente vacinados”.

Quanto ao período escolhido para a realização dos testes, após o regresso às aulas, Clélio Meneses disse que “é em contexto escolar que há maior risco” e, por isso, é nesse momento que se deve “fazer uma avaliação de quem tem ou não tem infeção”.

Segundo o último boletim da Autoridade Regional de Saúde o arquipélago açoriano regista presentemente 3.469 casos ativos, sendo 2.337 em São Miguel, 545 na Terceira, 262 no Faial, 197 no Pico, 58 em Santa Maria, 41 nas Flores, 22 em São Jorge, quatro no Corvo e três na Graciosa.

APE (CYB) // JPS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS