Cinco pessoas esfaqueadas na casa de um rabino a norte da cidade de Nova Iorque

Cinco pessoas foram esfaqueadas por um homem que entrou na casa de um rabino, a norte da cidade de Nova Iorque, quando celebravam o Hanukkah (feriado judaico), tendo ficado feridas.

Cinco pessoas esfaqueadas na casa de um rabino a norte da cidade de Nova Iorque

Cinco pessoas esfaqueadas na casa de um rabino a norte da cidade de Nova Iorque

Cinco pessoas foram esfaqueadas por um homem que entrou na casa de um rabino, a norte da cidade de Nova Iorque, quando celebravam o Hanukkah (feriado judaico), tendo ficado feridas.

Nova Iorque, 29 dez 2019 (Lusa) — Cinco pessoas foram esfaqueadas por um homem que entrou na casa de um rabino, a norte da cidade de Nova Iorque, quando celebravam o Hanukkah (feriado judaico), tendo ficado feridas, disseram hoje as autoridades policiais.

Um suspeito está sob custódia na sede da polícia de Ramapo, sendo acusado de cinco tentativas de assassinato e uma de roubo, segundo o chefe da polícia, Brad Weidel, que disse tratar-se de Grafton E. Thomas, um homem de 37 anos, de Greenwood Lake, que se situa a norte da cidade de Nova Iorque.

O crime ocorreu no sábado à noite, quando se celebrava a sétima noite do Hanukkah, e ocorreu depois uma série de ataques contra judeus na região, dos quais se destaca um massacre em Nova Jersey numa loja que vende produtos kosher e que ocorreu no início deste mês.

A casa do rabino fica em Monsey, uma cidade próxima da fronteira estadual de Nova Jersey e uma das cidades situadas no vale do Hudson que viu afluir nos últimos anos um grande número de judeus hassídicos.

Segundo o governador Andrew Cuomo, uma das pessoas ficou gravemente ferida e está em estado crítico.

O filho do rabino também ficou ferido, de acordo com o governador Cuomo, e a sua situação clínica, bem como a das outras vítimas, não são ainda claras.

As autoridades não justificaram o motivo do ataque, mas este responsável político explicou tratar-se de uma situação que tem a ver com problemas maiores.

“Este é um momento de intolerância no nosso país”, disse aos jornalistas, lembrando que se vê “raiva e ódio a explodir”.

E prosseguiu: “É um cancro no corpo político americano”.

Trata-se de “um crime interno” e “não de um ato de terrorismo”, esclareceu.

JS // MCL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS