Cinco anos de prisão para homem que abusou de menina de 8 anos em Ovar

O Tribunal de Aveiro condenou hoje a cinco anos de prisão efetiva um homem de 40 anos por ter abusado sexualmente de uma criança de oito anos, neta da sua prima.

Cinco anos de prisão para homem que abusou de menina de 8 anos em Ovar

Cinco anos de prisão para homem que abusou de menina de 8 anos em Ovar

O Tribunal de Aveiro condenou hoje a cinco anos de prisão efetiva um homem de 40 anos por ter abusado sexualmente de uma criança de oito anos, neta da sua prima.

Durante a leitura do acórdão, o juiz presidente disse que o tribunal deu como “totalmente provados” os factos imputados ao arguido.

O magistrado referiu ainda que, durante o julgamento, que decorreu à porta fechada, o arguido confessou os factos e manifestou “arrependimento e sentimento de vergonha”.

O homem estava acusado pelo Ministério Público de três crimes de abuso sexual de crianças, dois dos quais agravados, e um crime de pornografia de menores.

No entanto, o tribunal procedeu a uma alteração da qualificação jurídica e condenou o arguido por quatro crimes de abuso sexual de crianças agravados e três crimes de pornografia de menores agravados.

Em cúmulo jurídico foi-lhe aplicada uma pena única de cinco anos de prisão efetiva.

Além da pena de prisão, o arguido terá de pagar uma indemnização de 2.500 euros à menor.

O juiz explicou ainda que o tribunal entendeu não suspender a pena, porque este tipo de crimes “causam na sociedade uma grande ideia de repulsa”.

O arguido, que não tem antecedentes criminais, vai manter-se em prisão preventiva até esgotar todas as possibilidades de recurso.

À saída da sala de audiências, a advogada do arguido, Alexandra Bastos, considerou a pena “pesada”, admitindo que deverá recorrer do acórdão.

“Não fiquei satisfeita. É uma pena pesada face à situação concreta, principalmente aos problemas de saúde do arguido”, disse a advogada.

Os factos ocorreram entre maio e agosto de 2018, com três episódios de abusos na casa do arguido, no concelho de Ovar, e um outro na praia de Paramos, em Espinho.

De acordo com a investigação, o arguido terá aliciado a menor a fazer o que ele queria com a promessa de lhe dar uns patins em linha.

Além destas situações, o arguido fotografou e filmou várias vezes a menor desnudada, com o seu telemóvel.

JDN // LIL

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS