Capital do Natal | Após polémica, organização convida pessoas a regressarem

A entidade responsável pelo evento, Christmas Fun Park, pede a todas as pessoas que visitaram o parque no passado sábado, dia 30 de novembro, para «regressarem e experienciarem tudo o que este tem para oferecer»

Capital do Natal | Após polémica, organização convida pessoas a regressarem

A entidade responsável pelo evento, Christmas Fun Park, pede a todas as pessoas que visitaram o parque no passado sábado, dia 30 de novembro, para «regressarem e experienciarem tudo o que este tem para oferecer»

A Capital do Natal, parque de atrações que decorre no Passeio Marítimo de Algés, está a ser acusado, por vários visitantes, de publicidade enganosa. A entidade responsável pelo evento, Christmas Fun Park, disse ao Portal de Notícias que se encontra a «contactar» todas as pessoas que visitaram o parque no sábado, dia 30 de novembro, – e que se demonstraram descontentes – e convida-as a «regressarem para experienciarem tudo o que este tem para oferecer».

LEIA DEPOIS

2000 pessoas pedem devolução do dinheiro da visita. Organização já reagiu

O parque abriu na passada sexta-feira, em Algés, Lisboa, e têm, desde então, chovido críticas ao evento.  A página de Facebook do evento tem recebido inúmeros comentários de pessoas que já visitaram a Capital do Natal e que se dizem enganadas. Em Espanha, até há já um abaixo assinado a pedir a devolução do dinheiro. Os visitantes queixam-se do elevado preço dos bilhetes, das longas filas de espera para as atrações e de publicidade enganosa, uma vez que defendem que as fotos usadas para promover o evento não têm nada que ver com a realidade.

Petição anulada após contacto da organização da Capital do Natal

A organização da Capital do Natal afirmou ao nosso site que contactou «os responsáveis pela referida petição para esclarecer todas as questões suscitadas». «Após estes contactos, os autores da petição compreenderam que a organização da Capital do Natal é alheia à divulgação de imagens e informação que não correspondiam à realidade e estão, consequentemente, a reverter a petição.»

A Christmas Fun Park encontra-se ainda a contactar as pessoas que visitaram o parque, no passado sábado, 30 de novembro, e que ficaram descontentes, e convida-as a «regressarem para experienciarem tudo o que este tem para oferecer».

«Trata-se do primeiro ano em que estamos a realizar este evento»

A Christmas Fun Park alerta ainda para o facto de este ser o «primeiro ano» em que estão «a realizar este evento». «Acreditamos que, até ao último dia, continuaremos a melhorar ainda mais a experiência dos nossos visitantes.»

Quanto ao preço dos bilhetes – custam 25 e 100 euros –, a organização justifica o elevado custo com a «qualidade dos conteúdos produzidos, únicos e nunca antes realizados em Portugal, como o espetáculo de luzes do lago central, o Palácio dos Guardiões da Neve (com a recreação do círculo polar ártico), a Montanha do Vento Corajoso (com 12 pistas de snowtubbing)».

Organização nega maus-tratos a animais

Foi também posto em causa pelos visitantes a forma como a organização tratava os animais. Sobre isso, a Christmas Fun Park nega as acusações. «As renas – tal como todo o Parque – estão devidamente licenciadas pelas autoridades competentes. Pertencem à entidade «Burros do Magoito», uma entidade idónea e fidedigna, conhecida pelo tratamento exemplar que dá aos seus animais.»

Texto: Jéssica dos Santos

LEIA MAIS

50 presentes de Natal até 50 euros para facilitar as suas compras

Impala Instagram


RELACIONADOS