Cancro no cérebro de menina de 11 anos desaparece sem explicação

Cancro no cérebro de menina de 11 anos desaparece sem explicação

Médicos dizem-se «incrédulos».

Um cancro no cérebro  –alegadamente inoperável – de uma menina de 11 anos, do Texas, nos Estados Unidos da América, terá desaparecido «por conpleto» e «sem explicação científica», surpreende-se a equipa médica que acompanhava Roxli, a criança ‘miraculosamente’ curada. de acordo com os médicos, «não há explicação aparente o desaparecimento» constatado por exames. A notícia foi divulgada pelas estações televisivas Fox News e NewOn6 e está a agitar a comunidade científica.

Este cancro no cérebro ataca a zona responsável por funções como ver, ouvir, falar e comer

Roxli Doss foi diagnosticada com glioma pontino intrínseco difuso, ou DIPG, em junho do ano passado, e foi submetida a semanas de radiação e a outros tratamentos. O glioma pontino intrínseco difuso é um tumor que ataca o tronco encefálico, a zona do cérebro superior ao pescoço, onde é feita a ligação à coluna. O tronco encefálico é responsável, entre outras funções vitais, pelo controlo da respiração, a frequência cardíaca e os movimentos musculares que nos permitem ver, ouvir, caminhar, falar e comer.

«O quadro [clínico] de Roxli era o de uma doença devastadora»

Gena e Scott, os pais da menina cujo cancro no cérebro desapareceu, relatam terem rezado «por um milagre». «É uma bênção para a nossa família que Deus tenha curado a nossa Roxli.» A equipa médica da criança está «em estado de incredulidade». Dizem que, embora seja «muito raro, o quadro de Roxli era o de uma doença devastadora». A declaração é de Virginia Harrod, do Centro Médico Infantil da Dell. «Fica-se com capacidade diminuída de engolir, perda de visão, diminuição da capacidade de falar e, eventualmente, dificuldade de respirar.»

Roxli mantém-se em observação e em tratamento de imunoterapia, «por precaução»

Roxli consegue, hoje «andar a cavalo e praticar outras atividades comuns a qualquer adolescente da idade dela. «Quando vi pela primeira vez o exame de ressonância magnética de Roxli, foi realmente inacreditável», testemunha Harrod. «O tumor não foi detetado na ressonância, o que é realmente incomum.» Harrod afirma que a jovem de 11 anos passou por «semanas de radiação, apesar de não haver cura». A família diz que só tem a agradecer. «Não sabíamos quanto tempo ela seria saudável e, olhem para ela…» Os pais confirmam que os os médicos «repetiram os exames» apenas para confirmar os resultados. «Observam-se de perto e mantêm-na sob tratamento de imunoterapia, por precaução.»

LEIA MAIS

Polémica: «Sexo entre mulheres é uma aberração» Declarações de ministra brasileira dão que falar novamente

Previsão do tempo para quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

Goucha paga curso de treinador a ex-jogador que agora trabalha no Lidl

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS