Cabo Verde tinha mais de 168 mil edifícios em 2019, a maioria no meio urbano

Cabo Verde tinha 168.066 edifícios em 2019, em que a maioria situava-se no meio urbano (63,58%) e os restantes (36,42%) no meio rural.

Cabo Verde tinha mais de 168 mil edifícios em 2019, a maioria no meio urbano

Cabo Verde tinha mais de 168 mil edifícios em 2019, a maioria no meio urbano

Cabo Verde tinha 168.066 edifícios em 2019, em que a maioria situava-se no meio urbano (63,58%) e os restantes (36,42%) no meio rural.

Praia, 20 out 2020 (Lusa) — Cabo Verde tinha 168.066 edifícios em 2019, em que a maioria situava-se no meio urbano (63,58%) e os restantes (36,42%) no meio rural, segundo dados preliminares da Atualização Cartográfica apresentados hoje pelo instituto Nacional de Estatísticas (INE).

De acordo com os dados, do total de edifícios existentes do país, 106.860 foram construídos no meio urbano, enquanto 61.206 foram edificados no meio rural.

Relativamente ao tipo de edifício, o INE concluiu que mais de metade dos edifícios no país (57,33%) são clássicos concluídos, ou seja, construídos com cimento até ao fim, com uma cobertura e habitáveis.

Em sentido contrário, os edifícios clássicos não concluídos representam 26,62% do total, seguido dos edifícios em ruínas (6,50%), em construção (5,27%), dos não edifícios (2,34%) e dos edifícios não clássicos, ou seja, as barracas e casas de lata, que correspondem a 1,85%.

No que diz respeito aos não edifícios, a atualização cartográfica preliminar do INE concluiu que no país existem um total de 3.932, em que a maioria (855) são cisternas comunitárias, seguidas de chafarizes (637), postos de transformação (628) e poços (429), entre os quatro primeiros.

Quanto aos alojamentos, o estudo concluiu que o país tinha em 2019 um total de 203.834 alojamentos, dos quais 74,39% no meio urbano e 25,61% no meio rural.

Do total de alojamentos no país, a grande maioria (90,31) são familiares, enquanto 8,5% são não familiares e 1,54% são mistos, ainda segundo o inquérito, cuja recolha de dados no terreno aconteceu entre maio e outubro de 2019.

O INE fez ainda a atualização cartográfica dos estabelecimentos de saúde no país, concluindo que são no total de 381, em que quase metade (174) são clínicas privadas e consultórios médicos, seguidos de Unidade Sanitária de Base (73), postos sanitários (61) e Centros de Saúde (26).

O país tem ainda sete hospitais, cinco centros de reabilitação, 10 sedes de Delegacia de Saúde, 12 centros de fisioterapia, 12 laboratórios de Análises Clínicas e um centro de atendimento e recuperação de toxicodependentes.

Quanto aos estabelecimentos de ensino, o INE concluiu que Cabo Verde tem um total de 1.317, na sua maioria jardins infantis/creches (554), seguidos de escolas de ensino básico (505), escola secundária (57), escolas de formação profissional (41) e universidades e institutos de ensino superior (26), entre os cinco primeiros.  

No que diz respeito aos equipamentos desportivos, a atualização cartográfica constatou que existem no país um total de 589, sendo a maior parte placas desportivas (159), seguido de campos de futebol (128), polivalentes (122) e tem 19 estádios de futebol.

A Atualização Cartográfica de Cabo Verde, que vai ser disponibiliza numa plataforma digital, tem por objetivo georreferenciar, caracterizar e inventariar todos os edifícios, alojamentos e agregados familiares no país, serviços públicos e privados e outros equipamentos públicos.

Esta operação antecede ao quinto Recenseamento Geral da População e Habitação (RGPH-2020), que deveria arrancar em julho passado, mas foi adiado para o mesmo mês de 2021 devido à pandemia da covid-19.

A operação de recenseamento está estimada em 3,2 milhões de euros, cofinanciada pelo Luxemburgo, ao abrigo do quarto Programa Indicativo de Cooperação (PIC) entre os dois países.

Em declarações à imprensa, Adilson Sousa, responsável da unidade de cartografia do gabinete do censo do INE, disse que foi constatado que o país tem evoluído não só em número de edifícios e alojamentos, mas também a população e equipamentos, desde o último censo realizado em 2010.

“Há necessidade de atualizarmos a nossa base cartográfica para podermos melhor planificar o recenseamento de 2021”, salientou o responsável, que apresentou o inquérito, na cidade da Praia, num evento para do INE para assinalar o Dia Mundial de Estatística.

Instituída pela Assembleia Geral das Nações Unidas e celebrada pela primeira vez no dia 20 de outubro de 2010, o Dia Mundial de Estatística visa reconhecer a importância e o contributo que a estatística tem proporcionado, ao longo dos tempos, para o conhecimento e desenvolvimento da sociedade.

“Conectando o mundo com dados confiáveis” é o lema escolhido este ano pela Comissão de Estatística das Nações Unidas, que destaca a importância de dados oportunos, confiáveis, atualizados e de alta qualidade são necessários para compreender o mundo em mudança.

RIPE // PJA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS