O dia a dia na prisão do assassino do ator Bruno Candé

Encarcerado 23 das 24 horas do dia, o assassino de Bruno Candé não tem visitas, é alimentado na cela e está impedido de contactar com outros reclusos.

O dia a dia na prisão do assassino do ator Bruno Candé

Encarcerado 23 das 24 horas do dia, o assassino de Bruno Candé não tem visitas, é alimentado na cela e está impedido de contactar com outros reclusos.

Evaristo Marinho matou com quatro tiros o ator Bruno Candé, em Moscavide, no dia 25 de julho. Auxiliar de enfermagem de 76 anos, o assassino confesso está em prisão preventiva na cadeia de Lisboa. Evaristo foi colocado na ala F, espaço de quarentena por causa da covid-19. A rotina de Evaristo Marinho passa por 23 horas diárias encerrado na cela e apenas uma hora de recreio em cada dia. É alimentado dentro da cela e o confinamento obrigatório impede que receba visitas.

LEIA DEPOIS
Detido em Guimarães por maus-tratos e disparos sobre animal de companhia

Após quarentena, assassino de Bruno Candé será transferido

O dia a dia na prisão do assassino do ator Bruno Candé

O antigo auxiliar de enfermagem recebeu apenas uma encomenda da família, um saco de roupa que, ditam as regras de combate à pandemia, ficou três dias em isolamento antes de lhe ser entregue. Quando cumprir 14 dias de quarentena, Evaristo será transferido para uma ala do Estabelecimento Prisional de Lisboa destinado a reclusos idosos e necessidades especiais de proteção, o caso do assassino de Bruno Candé.

LEIA AGORA
Farmácias iniciam esta semana racionamento de medicamentos com limite para cada utente

Impala Instagram


RELACIONADOS