Brasil. Menina de dez anos violada pelo tio pressionada a não abortar

A menina, que vive com a avó, foi violada durante quatro anos pelo tio. O caso foi conhecido no início deste mês. O tio, de 33 anos, está indiciado pelos crimes de ameaça e violação, mas está em fuga desde que o caso se tornou público.

Brasil. Menina de dez anos violada pelo tio pressionada a não abortar

Brasil. Menina de dez anos violada pelo tio pressionada a não abortar

A menina, que vive com a avó, foi violada durante quatro anos pelo tio. O caso foi conhecido no início deste mês. O tio, de 33 anos, está indiciado pelos crimes de ameaça e violação, mas está em fuga desde que o caso se tornou público.

Uma menina de 10 anos, natural do Espírito Santo, Brasil, que engravidou após ter sido violada pelo tio, chegou este domingo à unidade hospital para abortar, já com o aval da Justiça do Estado de origem, mas à chegada tinha uma multidão de grupos a favor e contrários ao aborto.

Como? A militante de extrema-direita Sara Winter brasileira divulgou o nome de uma menina de dez anos e a morada do hospital onde a criança irá interromper a gravidez. O caso está a ser investigado pela procuradoria brasileira.

A menina, que vive com a avó, foi violada durante quatro anos pelo tio. O caso foi conhecido no início deste mês. O tio, de 33 anos, está indiciado pelos crimes de ameaça e violação, mas está em fuga desde que o caso se tornou público.

Um juiz da Vara da Infância e da Juventude de São Mateus deu autorização para a realização do aborto e a criança deu entrada no Hospital Universitário Cassiano António Moraes, em Vitória, mas o hospital recusou dar seguimento ao processo, alegando que “a idade gestacional não está amparada na legislação vigente”.

A Folha de São Paulo noticia que a menina desenvolveu diabetes gestacional e corre perigo de vida, um risco que se pode agravar caso a gravidez continue, já que existe a possibilidade de a criança desenvolver pressão arterial elevada e fissuras no útero.

Após a recusa, a avó e a criança deslocaram-se a Recife, onde a criança está agora internada proceder à interrupção da gravidez.

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram pessoas a hostilizar o médico responsável pelo procedimento e a vítima na tentativa de impedir o aborto induzido.

Impala Instagram


RELACIONADOS