Bahrein anula retirada de nacionalidade a condenados por terrorismo

O processo coletivo de retirada de nacionalidade foi contestado pela Amnistia Internacional

Bahrein anula retirada de nacionalidade a condenados por terrorismo

Bahrein anula retirada de nacionalidade a condenados por terrorismo

O processo coletivo de retirada de nacionalidade foi contestado pela Amnistia Internacional

O tribunal de recurso do Bahrein anulou a retirada de nacionalidade a 92 xiitas condenados pela formação de um grupo terrorista ligado ao Irão, mas manteve as penas de prisão.

Os homens pertencem a um grupo de 138 julgados e condenados em abril, segundo fonte judicial, mas «o tribunal de recurso anulou a condenação sobre a retirada de nacionalidade», acrescentou a mesma fonte.

As penas de prisão por terrorismo vão de três anos a perpétua, motivadas pela associação do grupo, composto por muçulmanos xiitas com ligações aos Guardiões da Revolução.

Amnistia Internacional contesta

O processo coletivo de retirada de nacionalidade foi contestado pela Amnistia Internacional, considerado semelhante aos que aconteceram em 2011 contra dissidentes xiitas envolvidos na contestação ao poder da dinastia sunita que governa o país.

Condenados tentaram formar em Bahrein um grupo terrorista

Segundo o procurador geral do reino, os condenados tentaram formar no Bahrein um movimento como o Hezbollah, o grupo pró-iraniano xiita baseado no Líbano.

LEIA MAIS
Previsão do tempo para segunda-feira, 1 de julho
Morreu Guillermo Mordillo aos 86 anos

 

Impala Instagram


RELACIONADOS