Autoridades ucranianas dizem que combates no leste do país atingiram “intensidade máxima”

Os combates das forças ucranianas contra as tropas russas no leste da Ucrânia atingiram a sua “intensidade máxima”, disse hoje a vice-ministra da Defesa ucraniana, Ganna Malyar.

Autoridades ucranianas dizem que combates no leste do país atingiram

Autoridades ucranianas dizem que combates no leste do país atingiram “intensidade máxima”

Os combates das forças ucranianas contra as tropas russas no leste da Ucrânia atingiram a sua “intensidade máxima”, disse hoje a vice-ministra da Defesa ucraniana, Ganna Malyar.

“Os combates atingiram a sua intensidade máxima e espera-nos uma etapa longa e extremamente difícil”, disse a vice-ministra, numa conferência de imprensa.

Serhiy Haidai, governador da região de Lugansk, uma das duas regiões que formam o Donbass e onde os combates estão a decorrer, também alertou para a intensidade dos combates.

“A tarefa é extremamente difícil na região de Lugansk porque tivemos três meses sob ataques constantes, bombardeamentos constantes e, agora, todas as forças russas estão posicionadas aqui e temos que conter essa horda”, disse hoje Haidai num vídeo publicado na rede social Telegram.

Segundo o governador, muitas infraestruturas militares ucranianas foram destruídas.

“Lentamente, os nossos homens estão a retirar-se para posições mais fortificadas. É muito difícil para os nossos homens [soldados ucranianos]. Extremamente difícil. Mas estão a aguentar”, acrescentou Haidai.

Depois de não conseguirem controlar Kiev, as forças russas estão a concentrar-se no leste da Ucrânia, já parcialmente sob o controlo dos separatistas pró-Rússia desde 2014.

Questionada sobre a situação em Kiev, Ganna Malyar também referiu que a ameaça russa ainda está a pairar sobre a capital.

“Porque destruir Kiev e derrubar o Governo ucraniano é a maneira mais rápida de conquistar a Ucrânia. Portanto, temos que viver com a ideia de que essa ameaça estará sempre connosco”, disse a vice-ministra ucraniana.

O autarca de Kiev, Vitali Klitschko, também sublinhou hoje, no Fórum Económico Mundial de Davos, que não pode “dar garantias de segurança” aos habitantes da capital que deixaram a cidade e decidiram regressar.

CSR // JH

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS