Austrália. Família em risco de ser deportada devido a deficiência do filho

A lei australiana de imigração aponta para os elevados custos que o problema do menino pode gerar para os contribuintes daquele país.

Austrália. Família em risco de ser deportada devido a deficiência do filho

Austrália. Família em risco de ser deportada devido a deficiência do filho

A lei australiana de imigração aponta para os elevados custos que o problema do menino pode gerar para os contribuintes daquele país.

Uma família do Bangladesh, a viver na Austrália, corre o risco de ser deportada depois de lhe ter sido negado a reemissão do visto devido à deficiência do filho de cinco anos. A lei australiana de imigração aponta para os elevados custos que o problema do menino pode gerar para os contribuintes daquele país.

LEIA DEPOIS

Como é constituído e aprovado o Programa do Governo? [vídeo]

Menino sofre de leve paralisia cerebral

Adyan nasceu há cinco anos na Austrália. Foi-lhe diagnosticado uma leve paralisia cerebral que lhe causa a perda de força do lado esquerdo. O menino consegue caminhar sozinho e apenas precisa de auxílio para subir escadas. O The Guardian teve acesso a um relatório onde se encontra explícito a autonomia da criança, mas não é referido qualquer ponto sobre as capacidades cognitivas do menino. O pai garante à mesma publicação que o filho tem ido ao infantário e que «não tem dificuldades de aprendizagem». Caso se venha a confirmar dificuldades de aprendizagem em Adyan, a deportação da família ganha peso, uma vez que a criança necessitaria de um auxílio especial na escola.

Família pede ajuda ao ministro da Imigração australiano

Até que seja tomada uma decisão, a família vive sem respostas. «Esta situação é muito difícil (…). O meu supervisor na [Universidade de] Deakin diz que me vai incluir num projeto assim que a situação com o visto ficar resolvida», revela o pai da criança ao jornal. O homem foi o primeiro a mudar-se para a Austrália, onde se encontra a realizar um doutoramento. A mãe da criança, Rebaka Sultana, está a aguardar um exame de equivalência para as suas qualificações como médica no país.

A família pediu ajuda ao ministro da Imigração australiano, David Coleman, para que impedisse a deportação. O ministro tem o poder de aprovar ou recusar um visto, sem qualquer tipo de justificação ou explicação. Em outros dois casos, também em risco de deportação devido a problemas de saúde, Coleman concedeu os vistos.

LEIA MAIS

Encontrados 41 migrantes vivos em camião frigorífico na Grécia

Impala Instagram


RELACIONADOS