Aumenta para 19 o número de mortos após derrocada de glaciar na Índia

As autoridades indianas elevaram para 19 o número de mortos e para mais de 200 os desaparecidos devido à avalanche provocada pela derrocada de um glaciar nos Himalaias, enquanto o trabalho de resgate continua a contrarrelógio.

Aumenta para 19 o número de mortos após derrocada de glaciar na Índia

Aumenta para 19 o número de mortos após derrocada de glaciar na Índia

As autoridades indianas elevaram para 19 o número de mortos e para mais de 200 os desaparecidos devido à avalanche provocada pela derrocada de um glaciar nos Himalaias, enquanto o trabalho de resgate continua a contrarrelógio.

As autoridades indianas elevaram para 19 o número de mortos e para mais de 200 os desaparecidos devido à avalanche provocada pela derrocada de um glaciar nos Himalaias, enquanto o trabalho de resgate continua a contrarrelógio.

O desastre aconteceu domingos de manhã no distrito de Chamoli, estado de Uttarakhand, na cordilheira dos Himalaias, quando a derrocada do glaciar desencadeou uma avalanche de água e lama que seguiu o curso dos canais de vários rios, obrigando à retiradas evacuação de emergência de milhares de pessoas.

Até ao momento, “pelo menos 202 pessoas foram reportadas como desaparecidas pelo desastre de ontem [domingo], enquanto 19 corpos foram recuperados de vários locais”, anunciou a polícia de Uttarakhand no último relatório.

Grande parte dos trabalhos de resgate está centrada na busca de trabalhadores de construção de duas centrais hidroelétricas afetadas pela avalanche, dos quais 146 estão desaparecidos, segundo a estimativa dada hoje pela polícia.

Até ao momento, as equipas de resgate localizaram cerca de 30 trabalhadores no interior de um túnel perto de uma das centrais, e desde domingo tentam aceder ao interior do local bloqueado por montanhas de lama e outros restos da avalanche.

“A operação de resgate dos encurralados num túnel continua em andamento. Estão a tentar desobstruir o túnel com ajuda de máquinas”, detalhou a polícia de Chamoli.

Na tarde de domingo, noutro túnel, 12 trabalhadores foram resgatados. O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, anunciou no domingo um apoio de 200.000 rupias (2.280) euros para parentes dos falecidos e 50.000 rupias (570 euros) para os feridos graves.

Vídeos filmados com telemóveis no momento da avalanche e difundidos nas redes sociais mostram a chegada repentina de uma grande coluna de lama e água pelo leito de um rio, atingindo com força as encostas do vale e destruindo estruturas como a de pelo menos uma das centrais hidroelétricas afetadas.

Esta região montanhosa dos Himalaias registou também inundações, deslizamentos de terra e o colapso de edifícios em junho de 2013, depois das chuvas das monções se terem adiantado um mês e terem produzido mais 68% de precipitações do que o habitual.

Essa tragédia causou cerca de 7.000 mortes ou desaparecidos, muitos deles peregrinos hindus que foram para Uttarakhand visitar alguns dos lugares mais importantes da religião e onde nasce o sagrado rio Ganges.

LEIA MAIS
Avenida D. Carlos I no Porto cortada a partir das 22h00 devido ao mau tempo

 

Impala Instagram


RELACIONADOS