Atividade sísmica a oeste da ilha Graciosa nos Açores ligeiramente acima do normal

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) informou que a atividade sísmica a oeste da ilha Graciosa, nos Açores, está “ligeiramente acima do normal”, tendo sido registados 24 eventos nas últimas 24 horas.

Atividade sísmica a oeste da ilha Graciosa nos Açores ligeiramente acima do normal

Atividade sísmica a oeste da ilha Graciosa nos Açores ligeiramente acima do normal

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) informou que a atividade sísmica a oeste da ilha Graciosa, nos Açores, está “ligeiramente acima do normal”, tendo sido registados 24 eventos nas últimas 24 horas.

Ponta Delgada, Açores, 21 jan (Lusa) — O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) informou hoje que a atividade sísmica a oeste da ilha Graciosa, nos Açores, está “ligeiramente acima do normal”, tendo sido registados 24 eventos nas últimas 24 horas.


Segundo o CIVISA, desde as 19:15 de sexta-feira (mais uma hora em Lisboa) tem sido “registada atividade sísmica numa região epicentral localizada entre 31 e 19 quilómetros a oeste de Vitória”, na ilha Graciosa, do grupo central do arquipélago.


“Os dois sismos mais energéticos tiveram magnitude 3,3” e ocorreram às 08:08 de hoje, tendo sido sentidos com intensidade II/III na Escala de Mercalli Modificada, na freguesia de Guadalupe, adianta o CIVISA.


O CIVISA, que continua a acompanhar o evoluir da situação, refere ainda que “até ao momento foram registados 24 eventos, não havendo informação de mais nenhum evento ter sido sentido pela população”.


À agência Lusa, a presidente do CIVISA, Teresa Ferreira, disse que, “por enquanto, a sismicidade tem sido de baixa magnitude e há apenas estes dois sismos com magnitude 3,3 que foram sentidos”.


“Obviamente que não é possível fazer previsão sísmica, mas neste período em que se está a desenvolver uma instabilidade sísmica nesta região, é de ter em consideração que alguns dos sismos que venham a ser gerados possam vir a ser sentidos pela população”, explicou.


Teresa Ferreira acrescentou que “todos os 24 eventos tiveram epicentro localizado no mar”.



SR // MSF

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS