Atirador de massacre na Nova Zelândia esteve em Portugal

Brenton Tarrant, um dos atiradores que mataram 49 pessoas na Nova Zelândia, refere o nosso País num manifesto, no qual explica as motivações que o levaram a participar no massacre

Brenton Tarrant é um dos dois atiradores que mataram a sangue 49 pessoas que se encontravam a orar em duas mesquitas em Chirstchurchna, na Nova Zelândia. O homem de 28 anos escreveu um manifesto, no qual explica o porquê de ter massacrado quase cinco de dezenas de pessoas a sangue frio.

Neste documento, organizado por vários capítulos, o suspeito conta que esteve de férias em Portugal e que viajou pela Europa. Nesta viagem, que ocorreu em 2017, Brenton garante que houve vários momentos que mudaram «radicalmente» a sua forma de ver o mundo e que o levaram a querer realizar o referido ataque. «O primeiro evento que provocou a mudança na minha cabeça foi o ataque em Estocolmo, no dia 7 de abril de 2017. Foi mais um ataque terrorista numa série de tantos outros que nunca mais acabam. Não podia mais ignorar os ataques. Atacaram o meu povo, a minha cultura, a minha fé e a minha alma», escreveu o suspeito no manifesto com cerca de 87 páginas, intitulado ‘A grande mudança: Rumo a uma nova sociedade’.

O assassino de nacionalidade australiana explica que o segundo momento que o mudou foi durante as eleições francesas, em 2017. Brenton garante que foi nesse período que deixou de acreditar na democracia como uma solução.

No texto, Brenton ainda faz várias referências a Donald Trump, defenindo-o como «um símbolo de identidade branca renovada e objetivo comum» e a Anders Breivik, o terrorista de extrema-direita norueguês que matou 77 pessoas em 2011.

LEIA MAIS

Previsão do tempo para sábado, 16 de março

Investigação aponta desconfianças sobre os pais de Madeleine McCann

ALERTA | Bebé morre atropelado pelo pai em Almancil

É esta a chave premiada do Euromilhões

Amélia Fialho terá expulsado filha e genro de casa antes de ter sido assassinada

Siga a Impala no Instagram

Impala Instagram


RELACIONADOS

Atirador de massacre na Nova Zelândia esteve em Portugal

Brenton Tarrant, um dos atiradores que mataram 49 pessoas na Nova Zelândia, refere o nosso País num manifesto, no qual explica as motivações que o levaram a participar no massacre