Ataque de homens armados faz 38 mortos na Nigéria

Pelo menos 38 pessoas foram mortas num novo ataque perpetrado por homens armados no domingo à noite em várias aldeias do estado de Kaduna, no centro da Nigéria, disseram hoje ativistas da sociedade civil e residentes à agência EFE.

Ataque de homens armados faz 38 mortos na Nigéria

Ataque de homens armados faz 38 mortos na Nigéria

Pelo menos 38 pessoas foram mortas num novo ataque perpetrado por homens armados no domingo à noite em várias aldeias do estado de Kaduna, no centro da Nigéria, disseram hoje ativistas da sociedade civil e residentes à agência EFE.

“Voltaram a lançar o terror sobre o nosso povo: o povo inocente do sul de Kaduna. Eles atacaram [a cidade de] Kaura no domingo à noite e mataram 38 pessoas inocentes”, disse hoje Luka Binniyat, porta-voz do Sindicato do Povo Kaduna do Sul (Sokapu), à EFE, por telefone.

De acordo com Binniyat, os atacantes cercaram as aldeias de Malagun e Abun enquanto “disparavam contra qualquer pessoa à vista”.

“Enquanto muitos foram mortos, outros foram queimados vivos. Também queimaram mais de uma centena de casas. É muito triste”, lamentou o porta-voz, sublinhando que muitas pessoas continuam desaparecidas e que os feridos estão a receber tratamento no hospital.

“Trata-se de uma situação grave. O nosso povo está indefeso e constantemente perseguido por estas pessoas [os atacantes]. O seu sustento está a ser destruído”, acrescentou.

Alhamid Khaled, um vizinho de Abun, também confirmou os acontecimentos e os 38 mortos à EFE.

“Muitas pessoas estavam desaparecidas no início e nós procurámos na floresta para ver se havia mais corpos, mas não encontrámos nenhum. Algumas das pessoas desaparecidas foram encontradas em aldeias próximas e estão demasiado assustadas para regressar”, disse Khaled.

Os estados centrais e noroeste da Nigéria sofrem ataques frequentes de “bandidos”, o termo utilizado localmente para bandos criminosos que cometem assaltos em massa, agressões e raptos para obterem resgates lucrativos.

A violência continua apesar das repetidas promessas do Presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, de acabar com o problema e o destacamento de forças de segurança adicionais para a área.

Em meados de novembro, bandidos raptaram quase uma centena de pessoas em várias cidades do estado de Zamfara, incluindo Kanwa e Maradun, bem como em aldeias mais pequenas.

Esta insegurança tem sido agravada desde 2009 pelo grupo terrorista Boko Haram no nordeste e, desde 2016, devido à sua cisão, pelo grupo extremista Estado islâmico na província da África Ocidental (ISWAP).

Ambos os grupos já mataram mais de 35.000 pessoas e causaram cerca de 2,7 milhões de deslocados internos, na sua maioria na Nigéria, mas também em países vizinhos como os Camarões, Chade e Níger, de acordo com dados do Governo e da Organização das Nações Unidas.

 

CAZM/VM // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS