Assassinada a tiro pela irmã após ameaçar revelar traições do cunhado

Maria Celeste Soares foi morta a tiro em casa após ameaçar tornas públicas as relações extraconjugais do cunhado. A própria irmã, o alegado traidor e um amigo do casal conhecem hoje as medidas de coação.

Assassinada a tiro pela irmã após ameaçar revelar traições do cunhado

Assassinada a tiro pela irmã após ameaçar revelar traições do cunhado

Maria Celeste Soares foi morta a tiro em casa após ameaçar tornas públicas as relações extraconjugais do cunhado. A própria irmã, o alegado traidor e um amigo do casal conhecem hoje as medidas de coação.

As duas irmãs não se davam bem há vários anos, mas quando a vítima ameaçou revelar que o cunhado mantinha relações extraconjugais, foi a “gota de água”. O casal decidiu matá-la. Com a ajuda de um amigo, no passado dia 23 de fevereiro, foram a casa da vítima, em Castro Daire, para matar e roubar alguns bens. São estas as suspeitas que levaram a Polícia Judiciária (PJ) de Vila Real a deter o trio, que conhece hoje as medidas de coação no Tribunal de Viseu.

Maria Celeste Madureira Soares, a irmã e o cunhado tinham contas antigas por acertar, mas nunca as zangas familiares tinha criado um desfecho violento. De acordo com o JN, a vítima tinha a certeza de que o cunhado andava a trair a irmã e ameaçou os familiares tornar público as relações extraconjugais. Nesse contexto de crispação, o casal ficou furioso e arranjou um amigo, indivíduo conhecido das polícias por ligações ao tráfico de droga, residente em Lamego, para os ajudar.

Levaram ouro e uma televisão

O casal, que, entretanto, se mudou para Mesão Frio, vivia no mesmo concelho que a vítima, Castro Daire. Foram à casa da mulher e balearam a vítima, que se encontrava sozinha em casa, porque o marido estava a trabalhar. Não se sabe ainda quem foi o autor do disparo. Certo é que vasculharam a residência. E levaram ouro, uma televisão e pequenos aparelhos.

O corpo de Maria Celeste seria descoberto durante a tarde, por um dos seus três filhos. A PJ de Vila Real começou então a investigar o caso que aparentava ser um roubo, seguido de homicídio. Mas as múltiplas diligências de investigação da PJ de Vila Real permitiram estabelecer prova de que os suspeitos, à hora do crime, estavam em casa da vítima.

LEIA AINDA
Homem investigado por crimes sexuais assassinado com tiros nos olhos
Atingida com três tiros em frente aos filhos após discussão com companheiro
Rosa Cunha foi atingida com um tiro na cabeça e dois no tronco. Homem fugiu mas acabou por ser capturado. (… continue a ler aqui)

Impala Instagram


RELACIONADOS