ASAE apreende 7 toneladas de carne imprópria para consumo em Mirandela

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica anunciou hoje a apreensão de 12,5 toneladas de carne e seus derivados, sete das quais impróprias para consumo, no concelho de Mirandela, no distrito de Bragança.

ASAE apreende 7 toneladas de carne imprópria para consumo em Mirandela

ASAE apreende 7 toneladas de carne imprópria para consumo em Mirandela

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica anunciou hoje a apreensão de 12,5 toneladas de carne e seus derivados, sete das quais impróprias para consumo, no concelho de Mirandela, no distrito de Bragança.

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica – ASAE – anunciou este sábado, 23 de fevereiro, a apreensão de 12,5 toneladas de carne e seus derivados, em Mirandela. Do total, 7 toneladas encontravam-se impróprias para consumo.

“Como resultado das ações foram apreendidas 12,5 toneladas de produtos cárneos, congelados e refrigerados bem como enchidos, num montante global de 34 mil euros”, explica a ASAE, em comunicado.

Esta Autoridade determinou ainda a suspensão de atividade de um dos estabelecimentos por falta de licenciamento, ausência de Número de Controlo Veterinário (NCV) e incumprimento dos requisitos de higiene.

Intervenção da ASAE surge na sequência de uma investigação

A ASAE instaurou também dois processos-crime por comercialização de produtos anormais avariados e um processo de contraordenação por falta de requisitos e rastreabilidade em géneros alimentícios.

A ação de fiscalização esteve a cargo da Unidade Regional do Norte – Mirandela. A intervenção da Autoridade surge na sequência de uma investigação que decorria há vários meses, e teve como alvos um entreposto frigorífico no concelho de Mirandela e uma indústria de enchidos.

ASAE pode aceder a dados de quem contribuiu para financiamento das greves dos enfermeiros

Segundo uma nota publicada no ‘site’ da CNPD, foi dito à plataforma PPL, que gere o fundo, que “nada obsta” à disponibilização à ASAE da informação pedida para averiguar a origem dos fundos recolhidos.

A Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica pretende investigar a origem dos fundos recolhidos pelos enfermeiros através de uma plataforma de financiamento colaborativo, ‘crowdfunding’, para as greves em blocos operatórios.

LEIA MAIS
Cardeal admite que igreja católica destruiu dossiês sobre abusos sexuais
Previsão do tempo para domingo

 

Impala Instagram


RELACIONADOS