Amêijoa-japonesa perigosa para consumo apreendida na Trafaria

No âmbito de uma ação de fiscalização rodoviária, a GNR de Almada abordou dois veículos que transportavam 600 quilos de amêijoa-japonesa e procedeu à sua apreensão.

Amêijoa-japonesa perigosa para consumo apreendida na Trafaria

Amêijoa-japonesa perigosa para consumo apreendida na Trafaria

No âmbito de uma ação de fiscalização rodoviária, a GNR de Almada abordou dois veículos que transportavam 600 quilos de amêijoa-japonesa e procedeu à sua apreensão.

O Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Almada, do Comando Territorial de Setúbal da GNR, apreendeu na segunda-feira, 15 de novembro, 600 quilos de amêijoa-japonesa (Ruditapes Philippinarum), na localidade da Trafaria. “No âmbito de uma ação de fiscalização rodoviária, os militares da Guarda Nacional Republicana abordaram dois veículos, tendo verificado que faziam o transporte de amêijoa-japonesa.” Foi possível apurar-se que “um homem de 30 anos transportava 300 quilos de amêijoa-japonesa e uma ganchorra e que o segundo indivíduo, um homem de 40 anos, transportava, igualmente, 300 quilos de amêijoa”.

Amêijoa-japonesa apreendida constituía “perigo para a saúde pública”

No decorrer da ação “apurou-se ainda que ambos não tinham documento de registo e de transporte obrigatórios, o que não permitia determinar a origem dos bivalves, nem o cumprimento das normas obrigatórias relativas à rastreabilidade, havendo assim possibilidade de constituírem um perigo para a saúde pública”. Na ação policial – decorreu com o reforço do Posto Territorial da GNR da Trafaria – foram elaborados dois autos de contraordenação.

LEIA DEPOIS
Ameaça matar vizinhos com recurso a arma de fogo

A Guarda Nacional Republicana alerta que “a captura deste tipo de bivalves, sem que sejam sujeitos a depuração ou ao controlo higiossanitário, pode colocar em causa a saúde pública”, caso sejam introduzidos no consumo, “devido à possível contaminação com toxinas, sendo o documento comprovativo da origem do bivalve “fulcral para a prevenção da introdução de forma irregular no consumo”.

 

Impala Instagram


RELACIONADOS