ACT abriu inquérito para averiguar condições de segurança dos trabalhadores da pedreira em Borba

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) abriu um inquérito para apurar as condições de segurança e saúde dos trabalhadores da pedreira em Borba onde, na segunda-feira, um aluimento de terras provocou pelo menos dois mortos.

ACT abriu inquérito para averiguar condições de segurança dos trabalhadores da pedreira em Borba

ACT abriu inquérito para averiguar condições de segurança dos trabalhadores da pedreira em Borba

A Autoridade para as Condições de Trabalho (ACT) abriu um inquérito para apurar as condições de segurança e saúde dos trabalhadores da pedreira em Borba onde, na segunda-feira, um aluimento de terras provocou pelo menos dois mortos.

Em resposta enviada hoje à agência Lusa, a ACT diz que, neste momento, “estão em curso diligências de inquérito com vista a averiguar as condições de segurança e saúde dos trabalhadores”.

Depois do desabamento de terras, ainda na segunda-feira, a ACT enviou para o local uma equipa de inspetores.

Além de dois mortos confirmados, o maquinista e o auxiliar de uma retroescavadora, há registo de três desaparecidos na zona que, segundo as autoridades locais, viajavam num automóvel e numa carrinha de caixa aberta na estrada entre Borba e Vila Viçosa (Évora) e foram arrastados para dentro da pedreira quando passavam na estrada que ruiu.

O corpo de uma das vítimas mortais foi retirado hoje à tarde.

A fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora adiantou à Lusa que continuam os trabalhos para o resgate do corpo da segunda vítima mortal confirmada, tendo presente “as condições de segurança” dos operacionais, por se tratar de um local “instável”.

Três engenheiros do Exército encontram-se em Borba a participar na avaliação das condições de segurança para as operações de resgate das vítimas, segundo disse à Lusa a porta-voz daquele ramo das Forças Armadas.

“Recebemos uma solicitação da Autoridade Nacional de Proteção Civil para enviar para o local especialistas de engenharia, que pudessem fazer uma avaliação técnica das condições de segurança para apoiar futuras operações de busca”, disse a major Elisabete Silva.

De acordo com a Proteção Civil, o resgate das vítimas do deslizamento de terras vai envolver a drenagem de águas da pedreira e a utilização de equipamento para detetar viaturas submersas.

O Ministério Público também instaurou um inquérito para apurar as circunstâncias do deslizamento de terras.

SO (MLM/ACL/HYT) // MLS

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS