7 histórias macabras que escondem os parques de diversão abandonados

Os parques de diversão abandonados podem constituir um cenário perfeito para filmes de terror. Conheça 7 histórias macabras que ditaram o encerramento de famosos parques de atrações.

7 histórias macabras que escondem os parques de diversão abandonados

7 histórias macabras que escondem os parques de diversão abandonados

Os parques de diversão abandonados podem constituir um cenário perfeito para filmes de terror. Conheça 7 histórias macabras que ditaram o encerramento de famosos parques de atrações.

Apesar de terem tudo para ser um sucesso, estes 7 parques de diversão foram encerrados e muitas das vezes sem se conhecer publicamente a razão. Conheça a verdade por detrás destes parques de diversão abandonados.

1 – Gulliver’s Kingdom

Na base do Monte Fuji, no Japão, há uma ‘pessoa’ de quase 45 metros amarrada no chão. Este é a estrutura que diferenciava o parque ‘Gulliver’s Kingdom’, um parque de diversões baseado no livro ‘As Viagens de Gulliver’. Quando abriu, em 1978, atraiu milhares de turistas que procuravam as vistas pitorescas do Monte Fuji. Em 2001, declarou-se insolvente e acabou por encerrar as portas.

O local apresentava uma aldeia pitoresca com uma estátua do próprio Gulliver e uma pista de bobsled. No entanto, o local onde foi construído revelou não ser a melhor escolha. Próximo da Aokigahara, também conhecida por a ‘Floresta do Suicídio’, onde, só em 2003, foram encontrados mais de 105 corpos. Além disso, o parque foi construído em cima da antiga base de operações do culto Aum Shinrikyo, responsável por um ataque terrorista no metro do Japão em 1995.

 

2 – Disney’s River Country

Com o sucesso da ‘Disneylândia’ nos anos 70, a empresa quis lançar mais parques, entre eles o ‘River Country’ na região pantanosa da Califórnia. Construído em 1976, o parque teve muita afluência. Em 2005 fechou de forma abrupta e sem explicações. Entre crianças afogadas a infecções letais na água, foram vários os boatos que correram. O local tornou-se agora numa floresta.

 

3 – Spreepark

‘Spreepark’ foi construído em 1989 na Alemanha, mas começou a ser ‘engolido’ pela água até fechar em 2001. Como se não bastasse, um dos principais funcionários do parque foi preso em 2003 com mais de 150 quilos de cocaína escondidas dentro do mastro de uma das principais atrações. O criminoso passou oito anos na cadeia, até ser solto e ir morar no ‘Spreepark’, onde reside até hoje.

 

4 – Holy Land USA

Holy Land USA já era um lugar bizarro antes de fechar. Fundado em 1957, o parque inclui uma aldeia hebraica inteira, igrejas ocas, Jesus no ato de morte e sinais aleatórios impressos com escrituras enferrujadas por toda parte. O parque fechou em 1984 e desde então que tem sido alvo de vandalismo. Em 2010, uma menina de 16 anos foi esfaqueada até morrer numa cruz de néon gigante.

 

5 – Kejonuma Hojou Land

O que assusta mais do que um parque abandonado? Um parque amaldiçoado. No seu auge, nos anos 80, ‘Kejonuma Hojou Land’, situado no Japão, recebeu mais de 200 mil turistas e mesmo depois de falir, em 2000, as atrações mantiveram-se. A lenda diz que uma mulher vivia junto a um lago do parque e um dia deu à luz uma serpente, que entrou na água. A mulher enlouqueceu, entrou no lago e acabou por se afogar. A mulher não foi resgatada e diz-se que por lá permanece como uma assombração. E nem de propósito, o nome do parque ‘Kejonuma’ significa ‘lago da mulher fantasma’.

 

6 – Aquaparque do Restelo

Foi um dos parques aquáticos mais populares de Portugal, mas a sua história ficou marcada pela tragédia. A 27 de julho de 1993, uma menina de nove anos desapareceu sem deixar rasto no também conhecido ‘aquaparque da morte’. Falou-se em rapto e distribuíram-se panfletos com o rosto da criança. Dois dias depois, um outro menino, Frederico Duarte, também é dado como desaparecido. Tal como Cristina, tinha nove anos e foi visto pela última vez no parque aquático.

A tese de rapto voltou a estar em cima da mesa, mas esta teoria veio a comprovar-se errada. Nesse mesmo dia foram encontrados os corpos das duas crianças. Ficaram presos nas tubagens, com apenas 27 centímetros de diâmetro. Com o conhecimento da causa, a entrada do parque encheu-se de populares que protestavam contra o que tinha acontecido. A tragédia acabou por ditar o encerramento do parque.

 

7 – Expoland

Em 2007, o parque de diversões japonês ‘Expoland’ foi o pináculo das lendas urbanas modernas, quando o carro da montanha russa ‘Fujin Raijin II’ saiu do trilho. Uma jovem de 19 anos acabou por morrer e mais de 20 pessoas ficaram feridas.

LEIA MAIS: 7 canais do Youtube que não deve ver

Texto: Redação WIN - Conteúdos Digitais

Impala Instagram


RELACIONADOS