Portugal credor de mais de 30% da dívida externa de Cabo Verde até março

Portugal era credor, até 31 de março, de mais de 30% da dívida externa cabo-verdiana, entre financiamento bilateral e operações com a banca, ultrapassando os 500 milhões de euros, segundo cálculos da Lusa baseados em documentos oficiais.

Portugal credor de mais de 30% da dívida externa de Cabo Verde até março

Portugal credor de mais de 30% da dívida externa de Cabo Verde até março

Portugal era credor, até 31 de março, de mais de 30% da dívida externa cabo-verdiana, entre financiamento bilateral e operações com a banca, ultrapassando os 500 milhões de euros, segundo cálculos da Lusa baseados em documentos oficiais.

De acordo com as Contas Provisórias do Estado do primeiro trimestre de 2020, elaborado pelo Ministério das Finanças, a dívida externa de Cabo Verde cifrava-se no final de março em mais de 177.342 milhões de escudos (quase 1.600 milhões de euros), entre financiamento multilateral (de organizações internacionais, 48,7% do total), bilateral (Estado a Estado, 23,4%) e comercial (banca, 27,9%).

Na vertente bilateral, Portugal, com dois financiamentos, em euros e dólares, era credor em 15.185.311.384,47 escudos (136,8 milhões de euros), acrescidos de 40.887.756.850,66 escudos (368,5 milhões de euros) na componente da banca comercial, à CGD (Caixa Geral de Depósitos), e que é o maior financiamento único a Cabo Verde.

Nessas três parcelas, o financiamento de Portugal a Cabo Verde reduziu-se, de janeiro a março, em 1.718.226,32? escudos (15.500 euros), conforme dados compilados pela Lusa a partir do mesmo relatório.

Ainda ao nível do endividamento externo de Cabo Verde, a China é credora, em financiamento bilateral em renminbi, no equivalente a 2.897.712.576,52 escudos (26,1 milhões de euros), enquanto da Agência Japonesa de Cooperação Internacional (JICA) o país tem um acumulado de financiamentos de 9.284.347.068,61 escudos (83,6 milhões de euros), à data de 31 de março.

Em termos de credores multilaterais, o Banco Mundial lidera o financiamento a Cabo Verde, com 35.849.049.851,36 escudos (323,1 milhões de euros), seguido do Banco Africano de Desenvolvimento, com 19.814.950.580,48 escudos (178,6 milhões de euros).

Em 31 de março de 2020, a dívida pública de Cabo Verde era constituída por 177.342 milhões de escudos (quase 1.600 milhões de euros) de endividamento externo, que cresceu 9,1% face ao período homólogo de 2019, e por 67.027 milhões de escudos (604,3 milhões de euros) de endividamento captado internamente, nomeadamente com emissão de títulos do tesouro, que cresceu, também em termos homólogos, 1,6%.

Globalmente, o peso do stock da dívida pública de Cabo Verde cresceu para 131,5% do Produto Interno Bruto (PIB) até março.

PVJ // VM

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS