Zelensky agradece solidariedade europeia com proposta de ajuda de 18.000 ME

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, saudou hoje “a solidariedade” da Comissão Europeia, que avançou com uma proposta de ajuda à Ucrânia de 18 mil milhões de euros em 2023.

Zelensky agradece solidariedade europeia com proposta de ajuda de 18.000 ME

Zelensky agradece solidariedade europeia com proposta de ajuda de 18.000 ME

O Presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, saudou hoje “a solidariedade” da Comissão Europeia, que avançou com uma proposta de ajuda à Ucrânia de 18 mil milhões de euros em 2023.

Zelensky agradeceu, numa mensagem publicada na rede social Twitter, à Comissão Europeia e à presidente do executivo europeu, Ursula von der Leyen, pelo anúncio de 18 mil milhões de euros em ajudas para 2023, que “mostra verdadeira solidariedade da UE [União Europeia]”.

“Juntos resistimos à agressão da Rússia, juntos vamos reconstruir a Ucrânia, juntos vamos estar na UE”, escreveu Zelensky.

A Comissão Europeia apresentou hoje uma proposta para entregar à Ucrânia 18 mil milhões de euros em empréstimos sob condições favoráveis durante o próximo ano, incluindo os três mil milhões de euros que foram prometidos para este ano e que a UE ainda não conseguiu desbloquear. 

Este pacote de assistência macrofinanceira tem de ser aprovado por todos os Estados-membros do bloco europeu, sendo que prevê novas emissões de dívida que têm como aval o orçamento comunitário.

O Governo da Hungria já anunciou que vai recusar a proposta.

“Dizemos ‘sim’ ao apoio à Ucrânia mas opomo-nos a um crédito conjunto”, afirmou o ministro húngaro de Estado, Gerlely Gulyas, em Budapeste.

Gulyas garantiu que a posição de Budapeste não está relacionada com a retenção dos 7.500 milhões de euros de fundos comunitários à Hungria pelas questões relacionadas com o incumprimento das normas do Estado de direito.

O vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis, disse na segunda-feira que apesar do bloqueio esperado da Hungria vai trabalhar como “todos os Estados-membros para garantir que no final vai haver uma decisão positiva”. 

Portugal “está no grupo muito largo de países” que apoia a proposta de um pacote de ajuda macrofinanceira à Ucrânia para 2023 no montante de 18 mil milhões de euros, revelou em Bruxelas o ministro das Finanças português.

Em declarações aos jornalistas no final de encontros dos ministros das Finanças da zona euro (Eurogrupo, na segunda-feira) e da União Europeia (Ecofin, na terça-feira), Fernando Medina disse que “nas reuniões destes dois dias, foi possível identificar uma convergência muito ampla dos países europeus relativamente ao pacote de apoio à Ucrânia para 2023”.

Sobre a Hungria, o ministro português disse então que Budapeste manifestou reservas, mas devido a um “enquadramento político” relacionado com o bloqueio do desembolso dos fundos do seu próprio Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

Na mesma ocasião, Medina afirmou-se esperançado de que o apoio à Ucrânia seja muito em breve acordado e veja “a luz do dia”.

“A proposta da Comissão é uma proposta forte, porque responde às necessidades da Ucrânia por um período significativo, de um ano, e é também uma proposta bastante equilibrada do ponto de vista dos encargos que cada Estado-membro vai ter de suportar, e por isso Portugal está no grupo muito largo de países que apoia esta proposta da Comissão e esperamos que ela em breve possa ver a luz do dia”, declarou Fernando Medina.

MP (ACC/PSP) // SCA

By Impala News / Lusa

Impala Instagram


RELACIONADOS